Mercado de Trabalho: confiança no futuro se mantém positiva

A 9ª edição do Índice de Confiança Robert Half (ICRH) mostra que, na média, desempregados, empregados e recrutadores mantém baixa confiança no momento atual do mercado de trabalho. O levantamento, que mede de 0 a 100 a avaliação desses profissionais, registrou 30,2 pontos no cenário atual. Porém, quando consideramos os próximos seis meses, o ICRH segue no patamar positivo, acima de 50 pontos desde outubro de 2018, registrando o índice de 51,9 nesta edição.

Ao desmembrar o levantamento por grupos, é possível constatar que os recrutadores são os únicos que, desde julho de 2018, não perderam a confiança na retomada. Enquanto isso, o sentimento dos profissionais qualificados, empregados e desempregados apresentou mais oscilações ao longo do período. É importante destacar que, para a produção do ICRH, entendem-se como profissionais qualificados aqueles com idade igual ou superior a 25 anos e formação superior completa.

“O ICRH classifica como recrutador todos os profissionais que têm algum poder de decisão sobre o preenchimento de uma vaga dentro da organização, ou seja, são as pessoas que possuem informações reais sobre as chances de prosperidade de uma empresa, abertura de vagas e retomada de projetos. Por isso, essa manutenção do otimismo dos recrutadores nos aponta para um cenário positivo no mercado de trabalho, ainda que a passos lentos”, considera Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half no Brasil.

“Apesar de não fazer parte do indicador consolidado, vale ressaltar o resultado do ICRH Projetos, que reflete a opinião de profissionais especializados que trabalham por projetos e de empresários que contratam nesta modalidade. O otimismo desta categoria é uma evidência clássica de retomada, pois mostra que, mesmo com certa cautela, existem maneiras e alternativas de fazer a rodar girar e os resultados aparecerem”, completa Mantovani.

Confiança dos Profissionais no Mercado de Trabalho – consolidado
(Fonte: 9ª edição do Índice de Confiança Robert Half — ICRH)

Cai a taxa de desemprego entre profissionais qualificados ─ Conforme aponta o ICRH, historicamente a taxa de desemprego entre profissionais qualificados é inferior à média geral. Felizmente, no segundo trimestre de 2019, o índice caiu para 5,5%, contra 6,1% registrados nos primeiros três meses do ano. Considerando a população geral, os índices de desemprego são de 12,7% no primeiro trimestre e 12% no segundo.

ÍNDICE DE DESEMPREGO
(Fonte: IBGE)

Profissionais de projetos estão mais satisfeitos ─ De acordo com dados do ICRH, 90% dos profissionais que atuam em projetos, nos cargos que vão de analista a diretor, avaliam a oportunidade como positiva para o currículo. Na sondagem anterior, essa taxa era de 86%. Em geral, atuar nesse modelo de trabalho propicia experiência, networking, contato com ferramentas novas, flexibilidade e oportunidade de efetivação. Para as empresas, os benefícios se traduzem em acesso rápido à mão de obra qualificada, preenchimento rápido de posição-chave, redução de custos, mais eficiência e agilidade nas atividades, conclusão do projeto com sucesso, possibilidade de retenção de talento e transferência de conhecimento para os pares da equipe.

A 9ª edição do Índice de Confiança Robert Half está disponível para download gratuito no site da Robert Half. Do estudo, é possível, ainda, extrair informações sobre os seguintes temas:

• Dificuldade para contratar profissionais qualificados ─ Quase 60% dos recrutadores têm enfrentado algum nível de dificuldade para encontrar profissionais qualificados. Destes, 46% avaliam a tarefa como difícil e 13% a classificam como muito difícil.
• O que os recrutadores valorizam ─ As habilidades mais observadas pelos recrutadores ao entrevistar um candidato são: trabalho em equipe e relacionamento interpessoal (opinião de 50% dos entrevistados), experiência (48%) e proatividade (40%).
• O que os candidatos buscam ─ Em um processo seletivo, além do salário, o que mais chama a atenção dos candidatos é a possibilidade de crescimento (opinião de 36% dos entrevistados), o pacote de benefícios (19%) e os valores e o propósito da empresa (14%).
• Motivos para a falta de oportunidades, segundo os desempregados ─ Para os profissionais desempregados que responderam à sondagem, os principais fatores para o desemprego estão relacionados ao momento econômico (opinião de 74% dos entrevistados), a um momento pessoal (14%), questões ligadas a habilidades comportamentais (13%) e necessidade de aprimorar a qualificação técnica (9%).

Metodologia do ICRH — Lançado em agosto de 2017, o Índice de Confiança Robert Half — ICRH é um indicador de difusão que varia de 0 a 100. Os indicadores de difusão são de base móvel (50 pontos), construídos de forma que os valores acima de 50 pontos indicam agentes do mercado de trabalho de profissionais qualificados confiantes. A 9ª edição do ICRH é resultado de uma sondagem conduzida pela Robert Half entre os dias 2 de julho e 2 de agosto de 2019, com base na percepção de 1.161 profissionais, igualmente divididos em três categorias: recrutadores (profissionais responsáveis por recrutamento nas empresas ou que têm participação no preenchimento das vagas); e profissionais qualificados empregados e desempregados (com 25 anos de idade ou mais e formação superior). Todos distribuídos regional e proporcionalmente pelo Brasil, de acordo com os dados do mercado de trabalho coletados na PNAD. Para os cálculos da taxa de desemprego dos profissionais qualificados, foram utilizados os microdados da PNAD trimestral, fornecidas pelo IBGE em seu portal, executando recortes na amostra para condizer com o perfil de profissionais qualificados. Para os profissionais contratados para projetos não foram observados os critérios estatísticos adequados, portanto seu resultado deve ser interpretado com cautela.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.