Com apoio de investidores, Motoboy.com expande atuação no Brasil

Criada antes da popularização dos aplicativos para entregas, a plataforma online de entregas ultra-rápidas Motoboy.com nasceu em 2013 para atender uma necessidade de mercado. Não apenas de empresários, mas de qualquer pessoa que precisa de agilidade para resolver problemas do dia a dia, seja entregar um produto, mercadoria ou documentos em algum lugar. A ideia nasceu a partir de práticas adotadas em âmbito global, como entregas last mile e ultra-rápida — em referência à última etapa do processo de logística para atender o usuário final, e o tempo estimado entre a solicitação e a realização de um serviço — e da contratação de parceiros para realização de tarefas operacionais, tática utilizada por gigantes como a Amazon.

Há cerca de 5 anos, os fundadores apostaram na ideia, validaram a hipótese e depois conseguiram investimento com um amigo para aquisição do domínio Motoboy.com. E deu certo. Hoje, a plataforma soma números expressivos: mais de 130 mil usuários cadastrados; cerca de R$ 1,5 milhão em aceleração e investimentos recebidos de organizações como Bossa Nova, Banco BMG e CNT; e mais de 25 mil locais atendidos em todo o Brasil só no último mês. Tudo isso para permitir que profissionais de entregas tenham demandas para atender clientes diversos — sobretudo pequenas e médias empresas, além de pessoas físicas — e revolucionar a oferta de serviços para entrega rápida.

Disponível por meio de aplicativo de celular ou interface web, a Motoboy.com é um marketplace que conecta clientes com perfis diversos, B2B, B2B2C e B2C, aos entregadores, com agendamento sob demanda e pagamentos por meio de cartão de crédito ou dinheiro. Além da plataforma, tanto os novos quanto os clientes recorrentes podem utilizar um chatbot para permitir cotações e pedidos através do Facebook Messenger. A Motoboy.com foi a primeira empresa do Brasil a utilizar um chatbot que possibilita cotação e solicitações de serviços pelo aplicativo de mensagens instantâneas da rede social.

Podem utilizar a plataforma apenas motoboys 100% autônomos, treinados, com licença de motofrete (via prefeituras) e regularizados como Microempreendedor individual (MEIs), compromisso que a Motoboy.com exigia dos profissionais antes mesmo da mudança na legislação. Com o apoio da ferramenta, os motoboys fazem entregas mais ágeis e com qualidade, oferecendo comodidade aos usuários.

A startup é comandada por Jonathan Pirovano, CEO da Motoboy.com; seu sócio Rafael Perboni, ocupa o cargo de CMO. Ambos são fundadores da empresa e possuem perfil empreendedor desde cedo. Formado em psicologia, mas com tino para os negócios, Rafael, 39 anos, começou a empreender aos 21, passando por segmentos diversos — de locadoras até comércio de produtos odontológicos, antes de embarcar no setor de tecnologia em 2011, quando criou sua primeira startup. Já Jonathan, 29 anos, sempre foi da área de tecnologia: aprendeu a programar desde cedo e já na sua adolescência cursou robótica no programa SESI Indústria de talentos. Aos 18, tentou seu primeiro empreendimento que não deu certo, uma gráfica com um amigo peruano. Foi uma experiência curta. Na época, resolveu terminar sua graduação em Sistemas da Informação. Desde o início, ele foi o principal responsável por desenvolver a tecnologia da Motoboy.com. Com o passar dos anos, veio a assumir a responsabilidade de CEO, função que ocupa atualmente.

Embora sua maior operação seja em São Paulo desde o início em 2013, a sede da Motoboy.com está localizada na cidade de Joinville, Santa Catarina, um dos pólos tecnológicos do estado, cuja capital é considerada o Vale do Silício brasileiro. Além de estar em um dos principais redutos de tecnologia e inovação no Brasil, a empresa também cresce por conta de diferenciais, em comparação com outros serviços de entrega disponíveis no mercado.

Cobrança diferenciada — diferente de outros serviços para entrega disponíveis no mercado, com cobrança feita por porcentagem, na Motoboy.com os motoboys são cobrados por taxa fixa, de acordo com a quantidade de locais de retirada e entrega. Os entregadores ficam com o total da corrida e posteriormente pagam um valor fixo por local de parada. Nesse caso, a Motoboy.com emite um boleto para o motoboy pagar à plataforma. Com isso, potencialmente ficam com uma proporção maior do total do serviço, principalmente em corridas de maior valor.

Já o pagamento feito pelo solicitante da entrega pode ser realizado tanto por cartão de crédito quanto em dinheiro. Recentemente também adicionaram mais uma opção de pagamento, através de créditos pré-pagos, o que possibilita descontos especiais ao usuário. Atualmente, mais da metade do pagamento das corridas são realizadas em espécie, permitindo que o entregador receba por seu serviço de forma imediata, o que é na prática percebido pelos motoboys como uma grande vantagem para facilitar seu dia a dia.

Parceira dos motoboys — outro diferencial da plataforma é estimular a valorização dos motoboys por meio de sua regularização. “Enquanto outras empresas para entrega exploram o modelo ‘trabalhar mais rápido para ganhar mais’, a Motoboy.com preza pelo respeito da categoria. Orientamos os parceiros a sempre trabalharem dentro das normas, e oferecemos um manual de boas práticas para evitar acidentes ocasionados pelo excesso de velocidade e imprudência no trânsito”, ressalta Jonathan Pirovano, CEO da Motoboy.com.

Aqueles que são melhor avaliados pelos clientes e atuam dentro dos critérios de qualidade recebem pontuações positivas e se destacam na plataforma, com a oportunidade de receber mais corridas. O algoritmo é otimizado para beneficiar os entregadores que possuem as melhores pontuações. Dessa forma, quem preza pelo profissionalismo e respeito ao cliente têm mais chances de continuar seu trabalho.

Além disso, a Motoboy.com entende que, sendo autônomos, possuem total liberdade para escolher quais serviços querem e podem realizar. Por isso, diferente de outras empresas, os entregadores não são penalizados quando recusam corridas.

Foco em fidelizar clientes — para fazer com que os usuários da plataforma se tornem recorrentes, a Motoboy.com trabalha com foco em qualidade do serviço ofertado pelos entregadores e pelo suporte do aplicativo. E a iniciativa dá certo: em 2019, a taxa de clientes recorrentes cresceu 42% em comparação com o ano anterior.

O suporte monitora em tempo real o andamento das entregas e o que ocorre na plataforma, para evitar ocorrências e insatisfação dos clientes. “Tanto os clientes quanto os entregadores recebem igual atenção em relação ao uso da plataforma. Assim, em caso de qualquer imprevisto, é possível acionar a plataforma e ser atendido com agilidade”, afirma o CEO da Motoboy.com.

Além do aspecto operacional, há investimento em estabilidade de sistema, para evitar lapsos que custam aos clientes. Quando comparado com outras empresas, a Motoboy.com se destaca com uma performance de 99,9% de uptime, na prática, com menos instabilidades durante seu uso.

Por esses e outros diferenciais, os números da plataforma não param de crescer e surpreendem pela dimensão da startup. Embora seja considerada de pequeno porte, sua atuação está atingindo mercados dominados até então por grandes negócios.

Projeção de futuro — é por esses números que os empreendedores à frente da Motoboy.com estão positivos com seu futuro: esperam dobrar de volume e faturamento no próximo ano. “Desde que lançamos a plataforma, sempre alcançamos crescimento exponencial ano após ano. Em 2019, estamos vivendo nosso melhor momento, com resultados e aperfeiçoamentos que nos indicam que os próximos anos serão de consolidação em nosso mercado”, explica Jonathan Pirovano, CEO da Motoboy.com.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.