Horário flexível cresce 192% nas empresas do Brasil, revela estudo

O controle da jornada de trabalho, em que o colaborador precisava bater o ponto todos os dias rigorosamente no mesmo horário, começa a entrar em desuso. Isso é o que mostra a Pesquisa de Benefícios Aon 2018-2019, que, em sua 12ª edição, contou com 640 empresas participantes, somando cerca de 2,3 milhões de colaboradores analisados.

De acordo com o estudo, 38% das empresas no Brasil oferecem horário flexível, número que saltou 192% desde que a última edição foi publicada, há dois anos.

Ainda segundo o levantamento, 37% das companhias adotam vestimenta casual no seu dia a dia, enquanto 21% têm como prática o home office.

Quando o assunto é filhos, 29% das organizações disponibilizam licença-maternidade estendida, benefício que cresceu 142% desde 2017. Para os homens, as empresas também começam a olhar com mais atenção para a licença-paternidade, direito com tempo ampliado em 21% das empresas para o perfil masculino.

Entre as tendências para os próximos anos, o benefício flexível – categoria em que o colaborador escolhe os benefícios da sua preferência dentro do pacote da companhia – é uma prática que deve crescer, apesar de presente em apenas 3% das empresas.

“Com cada vez mais diferentes perfis de profissionais em uma mesma organização, acreditamos que disponibilizar opções para o colaborador escolher aquela que melhor se adequa às suas necessidades e momento de vida será um caminho importante para a atração e retenção de talentos”, explica Rafaella Matioli, Diretora de Health e Retirement Solutions da Aon Brasil.

Estudo

O estudo contou com a participação 640 empresas de todo o Brasil para oferecer uma abrangente análise sobre o segmento de benefícios no país, demonstrando as melhores práticas e tendências. No ranking dos incentivos mais comuns no mercado de trabalho, o plano de saúde ocupa a primeira posição, seguido pelo seguro de vida e plano odontológico.

Nesta edição da Pesquisa de Benefícios Aon, o número de empresas participantes subiu 19%. Entre os perfis mais representativos, 37% das empresas entrevistadas têm até 500 colaboradores, 15% entre 500 e 1 mil funcionários e 23% de 1 mil a 3 mil profissionais.

Os insights da Pesquisa foram apresentados, pela primeira vez, durante o Fórum de Benefícios 2019 da Aon, que aconteceu hoje (7), no Auditório Ibirapuera, em São Paulo e reuniu cerca de 800 pessoas entre profissionais de RH e especialistas, para discutirem sobre as tendências do mercado de benefícios, reforma da previdência e inovação. O evento ainda acontecerá em Belo Horizonte e Rio de Janiero, nos dias 20 e 23 de agosto, respectivamente.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.