O que há de novo no mundo das startups?

De acordo com estudo divulgado recentemente pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o ano de 2018 terminou com mais de 10 mil startups cadastradas, o dobro do número registrado em 2017. Para a instituição, o cenário para 2019 se mantém promissor.

O mundo das startups apresenta oportunidades não só para empreendedores, mas também para investidores. Segundo levantamento da Lavca (Association for Private Capital Investment in Latin America), em 2018 os investimentos em capital de risco bateram o recorde de US$ 1,3 bilhão, o que representa melhores oportunidades de crescimento e expansão para empresas de todos os portes, com alavancagens mais rápidas devido à troca de experiência com o investidor.

De acordo com Felipe Collins, sócio da aceleradora ACE Startups e um dos palestrantes do We Are Omie, festival de empreendedorismo organizado pela fintech Omie, a tendência é de que o venture capital amadureça progressivamente a partir de negociações com grandes corporações e maiores números de rodadas de investimento. Collins participa da trilha de Marketing e vendas de resultados no evento, que acontece no dia 8 de agosto em São Paulo.

No cenário promissor, grandes startups crescem cada vez mais. É o caso da Movile, iFood, Nubank, Rappi e 99, com valor de mercado estimado em mais de US$ 1 bilhão cada.

As fintechs Stone Pagamentos e PagSeguro já fizeram suas Ofertas Públicas Iniciais – ou seja, já registraram a entrada da empresa na Bolsa de Valores – e estão listadas, respectivamente, na Nasdaq e na NYSE.

Mas não há só unicórnios no mercado. O número de criações de startups e o ritmo dos investimentos aumenta cada vez mais. Confira 6 tendências listadas por Felipe Collins para que o empreendedor não perca nenhuma oportunidade:

1 – Grandes empresas atuando como mentoras e investidoras

Grandes corporações estão se aproximando de startups para tê-las como fornecedoras, oferecendo mentorias e também atuando por meio do corporate venture, em que operam como fundo de venture capital.

2 – Fintechs vão integrar cada vez mais o mercado financeiro

As fintechs passaram a integrar fortemente o mercado financeiro, já que entregam atendimento individualizado e taxas mais atrativas a partir de tecnologias avançadas. De acordo com Collins, a regulamentação do open banking, iniciada pelo Banco Central em abril, contribuirá para o cenário diminuindo os obstáculos para novas empresas que desejem prover serviços financeiros.

3. O mercado é oportuno para Agritechs

O agronegócio é uma área adepta às novas tecnologias, principalmente por ainda apresentar problemas, como crédito de safra e monitoramento de produção. Outra tendência é que startups de métricas passem a se desenvolver em centros de pesquisa no interior no país.

4. Empresas que observam necessidades têm mais sucesso

Ainda existem vários problemas na gestão e serviços e um número alto de intermediários em todos os tipos de processos. Segundo Anthony Ulwick, empresas que identificam problemas antes de investir em tecnologias têm 86% mais chances de alcançarem o sucesso. Portanto, antes de qualquer coisa, é preciso observar as necessidades.

5. Formação empreendedora capacita profissionais para o mundo das startups

De acordo com uma pesquisa divulgada pelo fundo de investimentos Canary, 37% dos universitários brasileiros querem seguir carreiras empreendedoras ou abrir empresas voltadas para a tecnologia. Neste sentido, a educação empreendedora está contribuindo para a capacitação de profissionais que desejam trabalhar em startups.

6. A lógica de colaboração encurta caminhos

As startups vêm se ajudando com compartilhamento de informações, criação de conteúdo, networking e conhecimentos que ajudem a encurtar caminhos para o sucesso.

Marcado , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.