Como a Semantix cria ações para atrair, reter e engajar seus colaboradores

Atrair, reter e engajar profissionais com formação específica em tecnologias tem sido o principal objetivo desta empresa de tecnologia em São Paulo. A Semantix, empresa que atua com tecnologias de Big Data, Internet das Coisas e Inteligência Artificial, está promovendo ações que visam à retenção e o engajamento desse perfil de colaborador que é altamente disputado pelo mercado. O objetivo é tornar atrativo a forma como esse perfil se vê e é enxergado pela empresa, além de expor a sua valorização.

Só para este ano, a companhia reestruturou todo o pacote de remuneração de seus funcionários, seguindo as práticas alinhadas com o mercado. Isso inclui incentivos de curto e longo prazo e plano de carreira. Além dos benefícios de vales refeição e alimentação, auxílio creche e plano odontológico, estão oportunidades para atuar no exterior, promoção de curso de línguas totalmente pago pela empresa e incentivos a funcionários que adquirirem certificações com provedores parceiros.

“Estamos trazendo soluções equivalentes ao mercado tanto em remuneração total, quanto em relação aos projetos de carreira, engajamento e investimento em capacitação”, afirma Cláudia Pierangeli Gonçalves, head de Recursos Humanos da Semantix. “Com isso, buscamos também atrair novos talentos, que muitas vezes já procuram a empresa para aprender sobre estas novas tecnologias”, complementa.

Atuando com tecnologias específicas, a Semantix é parceira na América Latina de empresas norte-americanas, como a Cloudera e LucidWorks, ambas especializadas em big data analytics. Com isso, a brasileira passa a ter acesso a essas tecnologias, que por sua vez chamam a atenção de profissionais que buscam especializações. “Um de nossos principais pilares é transferir conhecimento de novas soluções e alta tecnologia para os nossos colaboradores”.

E é por meio desses profissionais que a própria companhia incentiva a transferência de conhecimento com bonificação adicional. Por meio de uma plataforma de Educação a Distância (EaD) criada pela Semantix, conhecida como Edutech, que promove cursos de tecnologia para o público geral e público interno, o funcionário que cria e desenvolve novos conteúdos educacionais são remunerados. A ideia com isso é incentivar a transmissão de conhecimento, com as trilhas de aprendizado e ao mesmo tempo, valorizar o capital humano na própria empresa.

Além de investir em capacitação, a Semantix investe em parcerias com universidades. A startup possui laboratórios de dados em instituições como a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap). A ideia é que pesquisadores e estudantes inovem e desenvolvam novas experiências com engenharia e ciência de dados em um ambiente colaborativo. “Os projetos possuem seis meses de duração e os alunos que se destacam no desenvolvimento das tecnologias possuem efetivação garantida no time da empresa”. Mais de dez profissionais já saíram de projetos como este.

A empresa, porém, ainda encontra muita dificuldade em encontrar profissionais com perfil sênior. Segundo a head de RH da Semantix, uma vaga que demanda conhecimentos técnicos mais específicos pode levar, em médias, 30 dias para ser ocupada. “A maioria dos nossos profissionais de perfil sênior não vieram do mercado, foram treinados e capacitados dentro da própria Semantix. A tecnologia que utilizamos são qualificações de poucos profissionais disponíveis no ramo”, afirma.

Além da oferta de soluções próprias em Big Data, Inteligência Artificial e Internet das Coisas, a Semantix presta ainda consultorias, treinamentos e suporte para tecnologias de parceiros. Recentemente, a empresa foi destaque no Liga Insights Martechs, estudo realizado pela Liga Ventures, aceleradora especializada em gerar negócios entre startups e grandes corporações.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.