Cresce o número de tentativas de fraude no e-commerce brasileiro, aponta estudo da ClearSale

A ClearSale, empresa líder em soluções antifraude para o e-commerce no Brasil, divulga o Mapa da Fraude 2019, estudo anual que contempla informações sobre tentativas de fraude no e-commerce brasileiro. De acordo com o estudo, em 2018, a cada R$ 100 gastos em lojas online, R$ 3,53 sofreram tentativas de fraude, o que representa um aumento de quase 9% em relação ao ano anterior.

Em 2018, as categorias de produtos que mais sofreram tentativas de fraude foram celulares, games, bebidas, eletrônicos e informática. Em 2017, os maiores índices ocorreram nos mesmos segmentos, porém, desta vez, com um aumento de 9,61 % no setor de celulares, 4,66 % no setor de eletrônicos e 4,29 % em produtos de informática. “São setores mais visados nos últimos anos, possivelmente pela revenda relativamente fácil em mercados paralelos. É mais fácil repassar um celular do que uma geladeira, por exemplo”, diz Omar Jarouche, diretor de Marketing, Planejamento Comercial e Soluções da ClearSale.

De acordo com o estudo, um fator que também se repetiu nos últimos dois anos foram as regiões onde essas fraudes ocorreram. Em 2018, as mais atacadas foram Norte, Centro-Oeste e Nordeste. Na região Norte – que figura no topo do ranking – a cada R$ 100 em compras no e-commerce, R$ 5,43 foram tentativas de fraude, um percentual 54 % maior que a média nacional.

“Não há uma razão clara que justifique as tentativas de fraude mais recorrentes nestas regiões. No entanto, as boas práticas – como uso de senhas fortes, por exemplo – servem para diminuir risco em qualquer lugar ou segmento. As fraudes podem acontecer em todos os lugares, e ter essa consciência é o primeiro passo para não ser surpreendido”, diz Jarouche.

Jarouche afirma que o consumidor deve evitar a compra em sites suspeitos, e sempre que possível, realizar suas transações online via cartão de crédito. “Ao contrário do que muitos acreditam, a compra pelo cartão de crédito é mais segura do que via boleto ou transferência bancária. Caso uma fraude ocorra, o consumidor que realiza a compra via cartão consegue contestar a cobrança junto ao seu banco. Já as compras via boleto não são reembolsáveis. Uma vez que o dinheiro é depositado, o estorno torna-se mais complicado” finaliza.

Vale lembrar que, apesar do aumento das tentativas de fraude no país, o e-commerce brasileiro cresceu 31 % em 2018, segundo estudo realizado pela ABComm.

Como se prevenir contra fraudes

– Pesquise a reputação da loja antes de realizar a compra. O consumidor pode checar a lista do Procon de sites que devem ser evitados ou sites que avaliam as lojas. Caso não existam avaliações da empresa na internet, o recomendado é evitar efetuar a compra e buscar um outro site de confiança;

– Averigue se o site tem a sigla “https” no endereço da Web ou um ícone de cadeado na parte inferior do navegador;

– Suspeite se o desconto for muito maior no boleto. É comum que sites falsos tenham preços muito mais baixos para pagamento via boleto.

– Procure dados oficiais da empresa como CNPJ, endereço físico e contato. Sites de e-commerce falsos podem não disponibilizar essas informações;
Para saber mais sobre o Mapa da Fraude 2019 e sobre a Clearsale, visite br.clear.sale/

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.