Pessoas que mudaram de vida com a atividade freelance

Cada vez mais, o mercado de trabalho está mudando. Há alguns anos, para um profissional se tornar seu próprio chefe sem um grande investimento, era algo impensável, assim como ser financeiramente independente sem uma carteira assinada e começar uma carreira nova depois dos 40 anos. Felizmente, com a chegada da tecnologia, modalidades de trabalho como a de freelancer se popularizaram, o que permitiu uma nova realidade no mercado

Em 2018, o número de microempreendedores individuais (MEIs) cresceu mais de 50%, de acordo com dados do Portal do Empreendedor, e com isso, a atividade freelance também aumentou: segundo um levantamento realizado pela Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, a modalidade cresceu 80% em 2018.

No último ano, áreas como Design e Suporte administrativo vem sendo áreas muito procuradas na plataforma, sendo a última, a área de atuação de Carla Larrossa e Janeh Ribeiro, dois exemplos de como a atividade freelance pode proporcionar tanto um estilo de vida diferente, como oportunidades que não são tão comuns em trabalhos convencionais.

Janeh é freelancer na Workana e trabalha com tradução, conteúdos e Suporte Administrativo. Nos últimos anos, mudou significativamente a sua vida e passou a viajar pelas Américas enquanto trabalha freelance. “Há dois anos e meio decidimos quebrar paradigmas e mudar radicalmente nossa vida. Deixamos empregos, vendemos casa, carro, móveis, compramos um motor home e saímos para um projeto, de um ano, rodando pelas Américas. Fomos do Brasil aos Estados Unidos e voltamos”, diz Janeh.

Já Carla Larrossa é redatora freelance e também trabalha na área de suporte administrativo. Ficou desempregada quando seus empregadores descobriram que estava grávida, por isso precisou buscar uma alternativa para continuar trabalhando. “O trabalho como freelancer proporciona tudo o que sempre desejei: possibilidade de passar mais tempo com minha filha e independência financeira”, conta Carla.

Dentro da plataforma, uma das áreas que mais geram demandas é de TI e Programação, onde atua Raul Galvão, que de freelancer passou a ser empreendedor em pouco tempo. Ele largou o seu emprego e começou a trabalhar como freelancer. Já no primeiro mês, conseguiu ganhar o dobro do que ganhava como funcionário. “Em 6 meses abri a empresa, formalizei e contratei meu primeiro funcionário. Hoje já conto com 5 funcionários internos mais equipe de parceiros freelancers”, diz Raul.

A profissão de freelancer também possibilita que profissionais que não iniciaram as suas carreiras na era digital, iniciem novas carreiras. O trabalho remoto apresentou um novo rumo para Marilia de Mello, que tendo mais de 20 anos de experiência como assistente de diretoria, não conseguia mais recolocação no mercado de trabalho devido a idade. Conheceu a Workana por meio de sua filha, e encontrou no trabalho a distância uma solução para a sua infelicidade que resultou em um infarto. “Ninguém perguntou quantos anos tinha, só viam o tamanho de minha experiência”, conta Marília. E em apenas quatro meses, ela já está vivendo da nova profissão.

Na Workana é possível contratar e oferecer serviços nas áreas de TI e programação, design e multimídia, tradução e conteúdos, marketing e vendas, suporte administrativo, jurídico, finanças e administração e engenharia e manufatura. Para encontrar, basta acessar o site www.workana.com.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.