APP usa inteligência artificial para autodesenvolvimento dos colaboradores

A HSD, consultoria com 20 anos na gestão estratégica de RH, acaba de lançar uma nova Plataforma Digital de Mapeamento de Percepções que alia os conceitos de Psicologia Organizacional à Tecnologia. Apelidado de PSIT – uma combinação de Psicologia com Tecnologia – o app permite aos próprios profissionais de uma equipe registrarem suas percepções dentro de um leque de dimensões e fatores que buscam contribuir para os resultados organizacionais. A plataforma digital ainda fornece dicas (feedforward) que direcionam o indivíduo ao autodesenvolvimento mediante o uso de Inteligência Artificial e algoritmos de People Analytics.

“O conceito do PSIT é ser uma plataforma de registro de percepções positivas, anônimas e pessoais, ou seja, sem interferência ou visualização individual da organização. Ele comunica gaps, mas por meio da ausência de fatores positivos percebidos e não focando em falhas, e ainda estimula o colaborador a se aprimorar através de um pacote de dicas disponibilizadas”, explica a CEO da HSD, Susana Falchi.

As percepções são regidas por uma pergunta: quais foram as contribuições do indivíduo para que os resultados empresariais fossem alcançados? A análise se dá mediante um conceito sistêmico representado por um triedro chamado de Triângulo das Polaridades, que reúne três grandes dimensões: ação, conexão e conhecimento. Estas são abertas em outros cinco fatores previamente definidos que direcionam o mapeamento das percepções positivas observadas na rotina do indivíduo. O score vai de 1 (pequena percepção positiva observada) até 5 (percepção positiva máxima).

“As três dimensões quando em plena potência, ou seja, seus cinco fatores em score máximo, geram na organização a criação de um equilíbrio chamado também de 4ª dimensão ou Alta Performance que, por definição, cria na organização uma dinâmica de eficácia direcionando todos colaboradores na obtenção de resultados empresariais máximos”, afirma Flavio Marqueti, executivo com larga experiência empresarial e empreendedora que acaba assumir o braço tecnológico da HSD como CTO.

A organização também pode utilizar o PSIT de forma semelhante ao profissional, ou seja, conferindo scores via web e colhendo mensagens de feedforward. No entanto, os gestores não têm acesso ao perfil de cada indivíduo e ao registro de percepção de cada um, pois o anonimato das contribuições é garantido. “Por ser uma plataforma de registro de percepções anônimas, retira do resultado o poder da dúvida já que não se julga quem emitiu a percepção dando um peso positivo ainda maior e, por seu resultado ser visualizado apenas pelo indivíduo, o deixa como único dono das percepções recebidas e o responsabiliza exclusivamente de exercitar as dicas encaminhadas a partir do seu score”, diz Susana.

Como plataforma de mapeamento, o PSIT traz na sua essência correções de rota que tornam o desenvolvimento do indivíduo mais leve, mais dinâmico e mais maduro. Além disso, retira da empresa o peso da promoção de programas de desenvolvimento e transfere a responsabilidade pelo autodesenvolvimento ao indivíduo. O app também retira da pauta a expressão “avaliação de aspectos negativos” e incorpora o termo “percepção de aspectos positivos” que, aliado a uma sistemática de dimensionamento de gaps para a posição de alta performance, mostra ao colaborador onde está e como deve fazer para evoluir para o próximo estágio.

Outra característica importante do PSIT é o abandono do conceito de feedback – olhar para o passado- e a adoção dos parâmetros do feedforward – olhar durante a atuação com visão de futuro impulsionando a organização a evoluir constantemente.

O PSIT está disponível na App Store ou Google Store, maiores detalhes no site www.psith.com ou páginas no LinkedIn, Facebook e Twiter.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.