Como se destacar no mar de startups no Brasil?

De acordo com a Abstartups – Associação Brasileira de Startups – o Brasil já conta com mais de 10 mil startups. Recentemente, foi divulgada a lista com as 100 mais promissoras e que merecem atenção em 2019.

A tarefa de construir uma empresa, vencer os desafios diários, aprender com as dificuldades e obter sucesso é árdua e construída, dia a dia, por equipes que abraçam a ideia e acreditam que podem fazer a diferença na vida da sociedade.

Por isso, CEOs de 7 startups presentes na lista contam um pouco de suas experiências, dando conselhos para que você também conquiste uma destaque em seu segmento:

Rafael Pereira, CEO da REBEL

“Meu conselho pra quem está iniciando na arte de empreender é: foque em resolver o problema do cliente. Já existem vários, você não precisa – e nem deve – criar mais um. Outra coisa: muitas ideias vão dar errado. Não veja como um fracasso, e sim um aprendizado. Você aprende e não desiste. Neste momento, estamos trabalhando dia e noite pra melhorar a experiência do usuário, para atender cada vez melhor nosso cliente e acabar com a escravidão dos juros no Brasil”.

Marcelo França, CEO do Celcoin

“Há exatamente 3 anos lançamos o Celcoin. Foi um período em que construímos a equipe, o produto, superamos crises e aprendemos muito. Esse aprendizado veio principalmente a partir do contato com nossos usuários diretos ou ‘agentes’. Foi escutando o que eles precisavam que conseguimos chegar na versão atual do Celcoin e superar pela 1a vez a marca de R$ 100 milhões transacionados no mês em serviços.”

Ramires Paiva, CEO da Creditoo

“Nos últimos seis meses, crescemos dez vezes e, para mantermos a demanda dos nossos clientes, estamos contratando profissionais em diversas áreas. Não existe uma receita para se destacar, mas a Creditoo acredita que alguns fatores são bem importantes: trabalhe duro, atenda um mercado gigante, tenha um bom produto e tenha a melhor equipe possível para implantar esse produto. O principal conselho é pesquisar e estudar bastante para encontrar, principalmente: mercado grande, produto certo e uma boa equipe. Um negócio com essas características tem maior chance de prosperar, mesmo que aconteçam alguns imprevistos no caminho”

Carlos Tristan, co-fundador da Squid

“Estamos, pela segunda vez, na lista. Desta vez o momento é especial, já que estamos anunciando a nossa nova marca. Receber este reconhecimento nos mostra que estamos no caminho certo. Se eu pudesse dar uma dica aos empreendedores é que fiquem atentos às mudanças do mercado e busquem inovação constante para se diferenciar dos concorrentes. Busque se conectar com as pessoas que admira e confie mais na sua intuição do que no seu plano de negócios. É melhor errar rápido e colher esses aprendizados, do que passar meses desenhando uma ideia em um planejamento que nunca vai para o mercado.”

Marcus Figueredo, CEO da Hi Technologies

“Três coisas têm sido muito importantes para o sucesso da Hi Technologies até aqui. Primeiro, ter uma equipe formada por pessoas resilientes e comprometidas. Estamos no mercado há algum tempo e nem sempre o mar está calmo e, por isso, formar um time capaz de vencer qualquer desafio é essencial. Segundo, oferecer um produto que entregue valor ao mercado. Os serviços e produtos precisam ser desenvolvidos para fazer o que a tecnologia veio para fazer, eliminar os intermediários e agregar valor direto pro cliente final. E, por fim, ter investidores que acreditam nos fundadores. Aqui na Hi já colocamos dinheiro nosso por muitos anos para desenvolver e crescer o negócio. Mas chega uma hora em que você precisa de dinheiro externo e, nesse momento, é essencial escolher um investidor que confie na sua visão, na sua cultura e que possa abrir portas para um networking que realmente te ajude.”

Maurício Feldman, Sócio-fundador da Volanty

“A Volanty está em plena expansão para dar todo o suporte necessário à meta de crescer 25% ao mês.Para se destacar entre as startups não existe uma receita de bolo – é um conjunto de fatores que envolve muito trabalho, olhares voltados para o mercado nacional e internacional e o principal: concentrar os esforços em proporcionar novas experiências e transformar a realidade de um mercado tão tradicional quanto o de automóveis. Identificamos as dificuldades e dores das pessoas e estudamos as formas mais eficientes e escaláveis de oferecer uma solução melhor para elas.”

Eduardo Henrique, CEO da Wavy

“A Wavy é uma empresa do Grupo Movile, até então especialista em soluções de comunicação e conteúdo via serviços de mensagens, focada nos canais de SMS e WhatsApp Business API, mas que decidiu recentemente se reposicionar e ampliar a sua atuação para ajudar seus clientes com soluções de customer experience. A operação da empresa já alcançou o tráfego de mais de 1 bilhão de mensagens por mês em 10 países diferentes.

Aprendemos muito, tivemos muitos erros e acertos na nossa caminhada. Um conselho que posso dar, é que no nosso processo, percebemos que era preciso fazer muito mais experimentos, implementar e validar as ideias de forma mais ágil. Estávamos demorando 6 meses para lançar um projeto e gastando milhares de dólares para perceber que estávamos errados. Acho que todo empreendedor precisa ter a cultura de que errar é aceitável. No final do dia, o que importa é ter pensado em novas ideias, mensurado o resultado e aprendido rápido com o erro, para errar novamente. Isso vira um ciclo virtuoso, em que novas ideias surgem a todo momento, e uma delas pode significar a disrupção do seu negócio. Com essa cultura, é possível manter um nível de crescimento acelerado, o que buscamos a todo momento por aqui.”

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.