Benefícios e desafios de usar nuvens multi-cloud e hibrídas

WhatsAppFacebookLinkedInTwitterGoogle+EmailCompartilhar

Pesquisas do Gartner, IDG, e Right scale, em 2018, não deixaram dúvidas de que a adoção da nuvem é cada vez mais predominante. A utilização da nuvem pública, por exemplo, aumentou 92%, segundo o Right Scale. O mesmo estudo mostrou que 51% das empresas têm uma estratégia de nuvem híbrida, combinando nuvens públicas e privadas.

O número de entrevistados que adotam a nuvem privada é de 75%. E, embora os entrevistados na pesquisa tenham executado 40% de suas cargas de trabalho na nuvem pública e 39% na nuvem privada, os clientes corporativos executaram menos cargas de trabalho na nuvem pública, 32% e mais em nuvens privadas, 45%, o que reflete sua preocupação com a segurança de trabalhos mais críticos.

A nuvem é muito mais do que apenas usar uma rede de servidores remotos hospedados na Internet para armazenar, gerenciar e processar dados. Cloud é realmente sobre metodologia, automação, modelos financeiros, abordagens de desenvolvimento de software e muito mais.

Benefícios da nuvem hibrida e da multi-cloud

Estratégias híbridas e com várias nuvens oferecem flexibilidade, escalabilidade e agilidade, fornecendo a liberdade de escolher quando e como implantar cargas de trabalho, sem a complexidade e os atrasos de aquisição e implantação de recursos de infraestrutura e operações.

Os aplicativos podem rodar em uma nuvem pública durante horários de pico. Nuvens híbridas ou multi-cloud também permitem um gerenciamento flexível de dados, governança, conformidade, disponibilidade e durabilidade. Elas eliminam os custos iniciais de capital e evitam o risco de ficar restrito ao fornecedor de infraestrutura. Outro aspect que leva à agilidade são os recursos de autosserviço, que permitem que sejam feitos testes de desenvolvimento e cargas de trabalho, baseadas na cultura DevOps, na nuvem. Outro benefício importante das nuvens públicas é distribuir geograficamente aplicativos e serviços, especialmente à medida que mais aplicativos gravitam para a ponta.

Desafios

A nuvem é um modelo de computação com o qual os serviços de TI são provisionados e gerenciados pela internet, no caso de nuvens públicas; ou por uma infraestrutura privada de TI, no caso da nuvem privada.

Os provedores de nuvem pública tipicamente desenvolvem ferramentas especializadas para monitoramento, orquestração, gestão de custos, seguras e muitas outras funcionalidades que já estão prontas para rodarem melhor com seus serviços.

No entanto, essas ferramentas podem não mapear para outras nuvens. No caso da nuvem hibrida e multi-cloud, estamos misturando várias nuvens, o que aumenta ainda mais a complexidade operacional e de gerenciamento de dados. Políticas e métodos operacionais são diferentes e a agregação de dados em diferentes fronteiras de nuvens dificulta a governança, a análise e a inteligência de negócios. Quando você tem petabytes de dados em uma nuvem, quanto tempo levará para mudar para outra nuvem?

Enquanto as principais empresas de nuvem implementam medidas de segurança que, provavelmente, excedem o que a maioria das empresas privadas pode oferecer, elas apresentam um alvo muito visível, e devemos supor que nada é à prova de erros. A segurança ainda é uma preocupação fundamental para aplicativos críticos, especialmente quando se trata de nuvens públicas.

Mudanças na nuvem em 2019

Embora as migrações e mudança de aplicativos para nuvens continuem em 2019, mais aplicativos serão modernizados para aproveitar os novos recursos de contêineres, sem servidor, FPGAs e outras formas de computação. A concorrência entre os principais provedores de nuvem aumentará, resultando em mais serviços disponíveis para infraestrutura como um serviço, integrações e recursos de código aberto e analíticos. Com a Microsoft executando o GitHub, o código aberto está se tornando modelo para o desenvolvimento de novas tecnologias e os fornecedores de nuvem se tornarão mais abertos às comunidades de desenvolvedores. Nuvens híbridas tornam-se um campo de batalha com o Amazon Outpost fornecendo um rack de servidor local para fornecer a nuvem AWS, e a IBM adquirindo Redhat, para aumentar sua relevância no data center.

Todas essas mudanças exigirão novos conjuntos de habilidades na migração, modernização e gerenciamento de novas implantações de nuvem. Os provedores de nuvem percebem que os clientes precisam de ajuda para migrar e implementar soluções de nuvem, para que tenham parceiros de serviços cuidadosamente qualificados nos quais os clientes possam confiar com suporte ou serviços gerenciados.

A Hitachi Vantara fornece suporte para implementações privadas, híbridas, públicas e multi-cloud com 3 áreas de suporte. Um deles é o Modo Cloud Gate para armazenamento de blocos, arquivos e objetos de Storage.

O HCP, Hitachi Content Platform, permite que os usuários movam dados com segurança para, e entre vários serviços de nuvem e gerenciem melhor os casos de uso, incluindo governança de dados, IoT e Big Data. O relatório Marketscape 2018, da IDC, mostra como o HCP trata da segurança, da nuvem múltipla e do desempenho. Uma das empresas que utilizaram esta plataforma é Rabobank, uma multinacional holandesa de serviços bancários e financeiros. O desafio era dar ferramentas para as equipes de compliance, dando suporte às práticas investigativas de regulamentação dentro do ambiente de trabalho. O resultado foi utilizar o HCP para acessar informações da dados estruturados e não estruturados de comunicação.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.