Geração X: é possível entrar no mercado digital?

Por Andrea Tedesco, Mentora de Carreiras da Digital House

Com o mundo em constante transformação, fica cada vez mais difícil não se tornar digital. Já para a Geração Y – nascida entre os anos 80 e 90 – essa não é uma realidade tão complicada assim, afinal, essas pessoas acompanharam de perto o processo de digitalização do mundo. Mas como profissionais da Geração X – nascida entre os anos 60 e 80 – podem conseguir as habilidades e competências necessárias para entrar no mundo da tecnologia?

Não existe perfil certo para ingressar no mercado digital uma vez que entendemos que o mundo está caminhando para essa digitalização. As pessoas precisam primeiro atualizar a forma de encarar sua carreira e entender qual é o futuro do trabalho. Tudo aquilo que é parametrizável, linear e mensurável deverá, realmente, ser substituído por robôs. Isso significa que ao invés de perfil, a primeira coisa que as pessoas precisam fazer para se transformarem em digital é ter plena consciência do processo de mudança que o mundo está passando. A partir daí, você se reorganiza e transforma seu mundo e o mundo à sua volta dentro dessa nova realidade.

Em relação ao preconceito com a idade, a área da tecnologia recebe muito bem profissionais mais experientes. O mundo digital vem abrindo espaço para esta geração que começa a ser esquecida, mas que também passa a ser absorvida pelo mercado de outra forma. Muitas empresas que demandam muito da mão de obra de tecnologia estão olhando com mais carinho para profissionais que podem contribuir em outras janelas e trocar experiência com os mais jovens As que começam a olhar para a construção de times diversos, também saem na frente em questão de inovação e performance quando objetivos e suporte são claros e focados no sucesso tanto da empresa quanto da carreira destes profissionais.

É necessário iniciar o seu processo de atualização digital, buscando escolas que tenham um foco voltado para os profissionais do mercado. Na Digital House Brasil, por exemplo, o aluno pode realizar diversos cursos voltados para tecnologia (como UX e Desenvolvimento Web Full Stack) ou até mesmo estudar Gestão de Negócios. Além disso, o local serve de conexão entre empresas e profissionais que estão em desenvolvimento.

O avanço da tecnologia e a velocidade das coisas ditas novas formas de consumo, relacionamentos, processos de seleção, economia, entre outros. Isso significa que o quanto antes você passar pela transformação digital – iniciando pelo seu pensamento digital – melhor e mais rápido você ingressa dentro de um mercado que pode ser comandado tanto por empresas, como por freelancer e empreendedores.

A questão é saber em qual praia deseja navegar, não esquecendo que o mundo está se transformando. Estar neste mercado é uma realidade, não uma possibilidade. Quem não se adequar a esta nova realidade, terá grande dificuldade de exercer suas funções e se manter atraente tanto como profissional, como enquanto empresa. Não nascer na era digital não é o problema e, sim, fechar os olhos para a transformação digital e como você terá que se adequar a esta realidade.

Andrea Tedesco, Mentora de Carreiras da Digital House, hub de educação para a formação de profissionais de alta performance para o mercado digital.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.