Executivos de grandes instituições bancárias migram para o mercado de fintechs

O mercado financeiro sempre se baseou em grandes instituições bancárias, mas com a chegada das fintechs esse modelo de negócio mostra-se esgotado. Com a dificuldade de desenvolver ideias inovadoras dentro de grandes bancos ou multinacionais, os executivos estão vendo oportunidades para empreender neste novo modelo de mercado.

Para Mathias Fischer, diretor de estratégia e inovação da Meu Câmbio, marketplace de moeda estrangeira, a razão do crescimento do interesse de altos executivos por fintechs e a imersão de profissionais de grandes instituições bancárias estão relacionadas não somente às inovações e modelos de negócios que vem sendo explorados, mas também em função do alto potencial de desenvolvimento e rentabilidade destas empresas. “Muitos executivos inovadores têm dificuldade de implementar sua visão de futuro em grandes empresas. Soma-se a isso a possibilidade de ser um sócio relevante dentro da fintechs, e temos a receita de sucesso para atração destes profissionais experientes e à frente do seu tempo”, comenta.

Segundo ele, nomes reconhecidos como, Ricardo Barboza, Rodrigo del Barrio e Rubem Ariano são alguns dos nomes que migraram de experiências em grandes casas como Confidence Travelex e Hedging Griffo, para empreender em startups como Filoo.com.br, e a própria MeuCâmbio.com.br.

Ricardo Barboza tem mais de 25 anos de experiência na área financeira internacional e no mercado de câmbio. Ocupou cargos de diretor executivo em bancos como Itaú Europa e Confidence, além de ter sido presidente da Renova Corretora de Câmbio. Hoje ele abriu mão de atuar em grandes instituições para investir em fintechs.

“Vi um grande potencial a ser explorado no mercado financeiro. Enquanto muitas instituições bancárias faziam a mesma coisa, da mesma forma há 50 anos, o cliente pedia um atendimento simples, prático e eficiente, adaptado a essa era digital, em que o serviço prestado passa a ser mais importante que ter “meu gerente de conta”. É justamente isso que as plataformas, como a MeuCâmbio.com.br, oferecem. Por isso, vi que era hora de largar a garantia de emprego e investir em algo que realmente estivesse alinhado com o futuro do mercado financeiro”, comenta Ricardo Barboza, responsável por parcerias estratégicas na MeuCâmbio.com.br.

Rodrigo del Barrio também abriu mão de uma sólida carreira como CFO em instituições financeiras multinacionais para atuar no mercado de fintechs. “Hoje existem diversas oportunidades de serviços financeiros. O cliente pode realizar as transações em poucos minutos, pela internet, sem a necessidade de falar com diversos bancos para, por exemplo, conseguir a melhor taxa em uma operação de câmbio. Ele pode simplesmente acessar uma plataforma que fará todo o trabalho para ele, de forma transparente, rápida e muito mais eficiente. Agregar a experiência de anos de trabalho em grandes instituições com a agilidade das fintechs é o grande desafio que os executivos terão pela frente”, finaliza Rodrigo.

Só no Brasil existem cerca de 400 fintechs nas mais diversas ramificações, desde investimentos até marketplaces de câmbio. A MeuCâmbio.com.br inovou no mercado de câmbio com uma plataforma aberta e realiza a cotação de 18 moedas estrangeiras em mais de dez instituições financeiras altamente selecionadas e com capilaridade em praticamente todo o Brasil. Tudo na velocidade de um click.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.