Dia da Segurança na Internet: Como não ficar refém da conectividade?

WhatsAppFacebookLinkedInTwitterGoogle+EmailCompartilhar

Dia 06 de fevereiro é dia da segurança na internet e sabemos que a Internet proporciona acesso a uma infinidade de informação mas, durante a navegação, todas pessoas e, principalmente empresas, estão sujeitas a diversos tipos de ameaças. Podemos ver os mais diversos truques, que vão de fraudes à contaminação do computador, distribuição de conteúdos em vídeos e até furto com dados bancários para compras. Com isso, é fundamental que os usuários se mantenham alertas para não cair em eventuais armadilhas.

Pensando nisso, reunimos algumas dicas de especialista que falam sobre os cuidados que os internautas devem ter ao se conectar com a internet e apostar em soluções inovadoras.

Como se proteger no mercado de vídeos online?

Segundo uma pesquisa realizada pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI), o Brasil é o segundo país que mais pratica pirataria. De todos os CDs, DVDs e softwares comercializados, 52% são piratas, enquanto a média mundial é de mais ou menos 34%. Uma das grandes preocupações dos produtores de conteúdo (desde professores autônomos até as grandes instituições) é essa questão, pois ninguém quer ter o seu material baixado ou compartilhado irregularmente.

Em uma pesquisa realizada recentemente pela Samba Tech, empresa líder na distribuição de vídeos online na América Latina, entre os produtores de vídeos que já sofreram pirataria, 46% atribuem o problema às falhas da plataforma utilizada e 18% aos sites que hospedam vídeos. Segundo Pedro Filizzola, CMO da Samba Tech, uma forma estratégica de evitar a pirataria é dificultar a distribuição dos conteúdos de forma ilegal é por meio da proteção por domínio. “Com ela, o produtor configura em qual domínio ele quer que seus vídeos sejam exibidos e então, mesmo que alguém consiga baixar, não poderá distribuí-los e revendê-los, já que ele só funcionará no domínio configurado”, explica.

Invista em segurança para o seu e-commerce

Segundo Alfredo Soares, fundador da Xtech Commerce, plataforma de e-commerce para PME´s, sem a segurança necessária para criptografar as informações fornecidas pelos clientes, além de um reforço no acesso a elas, a loja passa a ser um ambiente vulnerável a ataques de ladrões virtuais. Essas invasões podem resultar em diversas fraudes, como, por exemplo, a substituição do endereço de entrega das últimas compras realizadas e novas compras feitas com dados de terceiros. “Em um ambiente virtual que lida com transações financeiras, como um e-commerce, é preciso receber todo o investimento necessário para proporcionar segurança aos seus consumidores. Sem a segurança das transações financeiras, o cliente passa a desconfiar da loja on-line” revela Alfredo.

Invista em criptomoedas com segurança

Segundo recente relatório divulgado pela McAfee, empresa americana de informática e software de segurança, tivemos um aumento de 600% no número de ameaças de malwares criptos, apenas no primeiro trimestre de 2018. Tais dados nos mostram o quanto o quesito segurança tem se tornado essencial para usuários e investidores de criptomoedas.

Segundo Fernando Bresslau, Head of Operation and Finance da Ripio, carteira digital mobile para serviços financeiros, é importante tomar alguns cuidados na hora de realizar operações com moedas digitais. “Tenha excesso de atenção com as senhas, deixando-as mais extensas e complexas, use todos os sistemas de autenticação que a corretora ou carteira virtual oferecer e, principalmente, pesquise muito sobre a reputação da carteira que pretende usar, pois quanto mais lastro positivo ela tiver, mais confiança ela gera”, afirma Bresslau.

Compre na internet com segurança

Os consumidores estão cada vez mais propensos a realizarem compras no ambiente on-line, mas é preciso muito cuidado para não cair em ciladas. Um dos principais cuidados de segurança é verificar quais as formas de pagamento que são aceitas no e-commerce: mais especificamente se a loja aceita cartão de crédito.

“Uma empresa, para poder receber pagamentos via cartão, precisa apresentar uma extensa documentação – e isso, por si só, já cria uma grande barreira para um fraudador oportunista. O cliente não precisa necessariamente escolher pagar no cartão, mas só de o fato de o estabelecimento oferecer esta opção já significa muita coisa”, ressalta Tom Canabarro, co-fundador da Konduto.

Muitas pessoas acreditam erroneamente que o boleto bancário é a maneira mais segura, mas existem vários tipos de golpes envolvendo esse tipo de pagamento e o banco não se responsabiliza. Já nos pagamentos via cartão, por contrato, o consumidor sempre está protegido.

A biometria a serviço da segurança

A biometria, aos poucos, está se tornando parte do nosso dia a dia, principalmente quando o assunto é segurança. As instituições bancárias já estão implementando soluções do tipo para saque e consulta de dados. Uma câmera de celular, tablet ou notebook e um software. Isso é o suficiente para a utilização da biometria facial, uma nova tecnologia que tem se tornado tendência na identificação de pessoas em diversos setores.

Segundo Danny Kabiljo, CEO fundador da FullFace, startup brasileira que criou um sistema de reconhecimento facial que facilmente se integra a hardwares e softwares facilitando processos de autenticação biométrica facial web e mobile.

“Para contextualizar, a biometria facial pode ser utilizada em qualquer segmento onde seja necessário a identificação, ou seja, bancos em processos de autenticação, sistemas de saúde e laboratórios para reconhecer o cliente, qualquer empresa que necessite identificar o funcionário (controle de acesso e controle de ponto), aeroportos e empresas aéreas, segurança pública, no setor varejista que necessita saber quem é o cliente para fidelizá-lo, entre outros”.

Consultório Virtual 100% criptografado

O mercado de novos aparelhos e soluções de diagnóstico remoto só cresce, tornando-se hoje uma nova área da Medicina e Saúde que traz uma revolução na própria forma de se atender e entender o paciente através dos dados que se pode coletar dele por meio do teleatendimento online.

Para Lucas Arthur de Souza, Co-fundador e Diretor de Operações da TelaVita, marketplace de saúde digital, segurança sempre foi importante no desenvolvimento da plataforma que tem como objetivo conectar psicólogos e pacientes de todo país. “Mesmo sem existir um padrão universal de segurança no Brasil, nosso sistema já está próximo e de acordo com a maioria dos padrões internacionais, como padrão norte americano, HIPPAA, por exemplo. Possuímos várias camadas de segurança com diversas abordagens. Primeiramente o sistema possui certificação SSL (HTTPS) que garante que todas as transações e informações são criptografadas”.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.

  • Invista no valoragregado.com

    Invista no valoragregado.com