• Translate to

    Arabic Arabic Chinese (Simplified) Chinese (Simplified) Dutch Dutch English English French French German German Italian Italian Portuguese Portuguese Russian Russian Spanish Spanish

Os quatro passos para fazer o seu e-commerce mais seguro na Black Friday

WhatsAppFacebookLinkedInTwitterGoogle+EmailCompartilhar

As vendas virtuais devem gerar um faturamento de R$ 69 bilhões em 2018, segundo previsão da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). A Black Friday é um dos eventos mais importantes para esse mercado, já que 82% dos brasileiros fazem compras online nessa data, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Google em parceria com a empresa de consultoria Provokers.

Além de ser uma oportunidade para o aumento do faturamento, a Black Friday se tornou um fator de fidelização de clientes. Segundo o estudo do Google, 78% dos consumidores voltaram a comprar em uma loja após realizarem a primeira compra durante a Black Friday.

“Atualmente, tem-se verificado um crescimento nos investimentos em infraestrutura para e-commerces para garantir uma experiência segura para empresas e consumidores. Pesquisas recentes indicam que mais de 95% das lojas virtuais brasileiras apresentam alguma falha de configuração, o que pode gerar instabilidades e causar um desgaste irreversível na relação com os clientes”, afirma o CEO e Presidente da UPX Technologies, Bruno Prado.

Quatro dicas da UPX Technologies para que os lojistas evitem prejuízos durante a Black Friday:

1. Melhorar a performance

A implementação de uma rede de distribuição de conteúdo (CDN – Content Distribution Network, em inglês) melhora a performance diante do aumento no número de acesso de consumidores. A CDN registra os conteúdos da loja virtual e replica de acordo com a demanda para evitar que o servidor seja sobrecarregado, além de diminuir o tempo de carregamento por meio da distribuição do conteúdo de servidores mais próximos à solicitação.

2. Investir em segurança

Em datas como a Black Friday, o grande volume de dados bancários chama a atenção de criminosos, que atacam os e-commerces para sequestrar essas informações. Os ataques de negação de serviço (DDoS – Distributed Denial of Service, em inglês) também são frequentes nessa data, pois visam tirar a loja do ar e causar prejuízos financeiros. Por isso, é fundamental que as empresas contratem soluções de segurança para proteger suas redes.

3. Contratar um link dedicado ou Trânsito IP

A popular conexão “banda larga” oferece apenas um endereço IP e limita o desempenho da internet. Para empresas e lojas virtuais que dependem de estabilidade de conexão, o recomendado é contratar um link dedicado, que garante 100% da velocidade e disponibiliza de 2 a 8 endereços IPs. Outra opção mais avançada é o Trânsito IP, que conta com múltiplos fornecedores para evitar queda na operação e suporte para alto tráfego de dados.

4. Planejar é essencial

As lojas virtuais devem investir em segurança e performance durante o ano todo, o que evita gastos inesperados em datas específicas, como a Black Friday. Esse planejamento envolve a contratação de soluções preventivas, de suporte caso ocorra algum imprevisto e de atendimento ao cliente.

229 Total Views 8 Views Today
Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.

  • CONHEÇA O CANAL DE VÍDEOS DO VALOR AGREGADO

    CONHEÇA O CANAL DE VÍDEOS DO VALOR AGREGADO