Saiba quais são as qualidades fundamentais do novo líder no mercado de trabalho atual

Saiba quais são as qualidades fundamentais do novo líder no mercado de trabalho atual

Muito tem sido dito sobre a importância de desenvolver a liderança, tanto num ambiente corporativo quanto em seu próprio empreendimento. E fica a dúvida: “é possível se tornar um líder ou se nasce um?”. Para Marcelo Policarpo, master coach da SBCoaching, “a essência do líder é intrínseca, mas ele tem de trabalhar no desenvolvimento de novas competências e no aprimoramento das já existentes, afinal, todo comportamento pode ser lapidado”.

E para moldar esse comportamento no ambiente profissional nada melhor do que conhecer suas potencialidades e a melhor maneira de despertá-las. “Pesquisas demonstram que os profissionais que alcançam sucesso mais rapidamente em suas carreiras dominam suas soft skills”, diz. Portanto, confira abaixo quais são e como usá-las:

  • Administrar o tempo com eficácia

Ter domínio sobre o tempo significa mais do que trabalhar 8, 10, 12 horas por dia; é utilizar essas horas a seu favor e a favor da empresa. Além da produtividade, o profissional que está na posição de liderança deve entender que um líder que nunca tem tempo para ouvir, auxiliar e desenvolver é falho na administração deste recurso.

Foto divulgação

  • Delegar tarefas

Delegar eficientemente tarefas garante a fluidez e agilidade nos processos, estimula o aprendizado e o desempenho de sua equipe e ainda evita que o líder se sobrecarregue. De acordo com Policarpo, há líderes que tem de se livrar de crenças limitantes como: “é mais rápido fazer do que explicar“, “os funcionários não sabem fazer sozinhos” ou “um bom líder tem que dar conta de tudo“.

Foto divulgação

  • Tomar decisões rápidas e assertivas

No trabalho, em diversas situações, é necessário trocar o perfeito pelo eficaz. “Um bom líder mantém a mente aberta, faz simulações mentais e se mantém flexível para tomar a melhor decisão”, afirma o especialista.

Foto  divulgação

  • Resolver problemas independentemente de sua complexidade

O bom líder é aquele que está preparado para resolver problemas com rapidez, sem expor a equipe a um alto grau de stress. Para tanto, ele tem uma atitude positiva e que encara o problema como o processo de usar habilidades e recursos para reduzir ou eliminar a diferença entre a situação desejada e o cenário atual. Aqui é importante avaliar a gravidade para entender a urgência ou não da situação.

Foto  divulgação

  • Administrar as diferentes etapas do conflito

Prevenir e administrar conflitos com mais rapidez e eficácia e transformá-los em uma forma criativa a serviço do crescimento, da inovação dos resultados organizacionais, passou a ser um dos grandes desafios dos líderes de hoje e uma das características mais admiradas, segundo o master coach.

Foto divulgação

  • Produzir resultados através de reuniões eficazes

De acordo com a pesquisa da Meetings in America: A Study os Trends, Costs and Attitudes Toward Business Travel, Teleconferencing and Their Impact on Productivit, detectou os sintomas da “Síndrome das Reuniões Entediantes”:

  • 91% das pessoas que participaram de reuniões admitiram que costumam devanear;
  • 96% disseram que fazem o possível para evitá-las;
  • 34% confessaram que não conseguem evitar o sono.

Portanto, lembre-se, se a reunião não conseguir ser uma ferramenta eficaz para brainstorming, análise de resultados e implementação de melhoria, melhor não fazê-la.

Foto divulgação

  • Comunicar-se

A comunicação é um dos bens mais preciosos entre líder e equipe. Para saber se ela é eficiente, basta checar se os funcionários cumprem o que foi pedido na íntegra.

Foto divulgação

  • Desenvolver o capital humano

Isso significa fortalecer a motivação e a satisfação dos funcionários. Para Marcelo Policarpo, um bom líder deve sempre estar acima de 7, numa escala de 0 a 10.

Foto divulgação

  • Dar feedback e fazer follow-up de forma eficaz

Bons líderes comunicam com clareza – e de forma detalhada – o que deve ser feito, checando o entendimento da ideia inicial, validando os recursos necessários, gerando comprometimento e, o mais importante, determinando o prazo de entrega ou finalização. “A falha de uma entrega malfeita ou fora do prazo pode estar no líder que passou um bom briefing, mas falhou no follow-up”.

Foto divulgação

Comments are closed