Vendas de eletroeletrônicos crescem 15% no primeiro semestre de 2018

WhatsAppFacebookLinkedInTwitterGoogle+EmailCompartilhar

O setor de eletroeletrônicos acompanhou o ritmo de gradual crescimento da economia brasileira no primeiro semestre de 2018, com alta nas vendas em todos os segmentos. No período, o destaque ficou por conta da Linha Marrom, com o impulso da Copa do Mundo para a venda de televisores.

Segundo levantamento da ELETROS – Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos, o volume de encomendas do mercado aumentou 14,6% na primeira metade deste ano na comparação com os mesmos meses de 2017, passando de 45,5 milhões de unidades para 52,1 milhões. Mesmo diante das dificuldades impostas pela paralisação dos caminhoneiros, a Indústria manteve os bons resultados.

A comercialização de TVs cresceu cerca de 30%, de 5,1 milhões para 6,59 milhões de aparelhos. A linha de Portáteis registrou alta de 13% na mesma base de comparação, com a venda de 30 milhões de equipamentos neste ano. Já a Linha Branca teve uma expansão de 2,75%, para 6,72 milhões de produtos.

“Notamos uma melhoria gradativa do cenário para o consumo e, junto ao desejo do brasileiro de assistir à Copa em altíssima resolução, estava formado o ambiente necessário para o crescimento do setor”, explica José Jorge do Nascimento Junior, presidente da ELETROS. “Também temos uma expectativa de elevar as vendas com a mudança do sinal de TV que migra do analógico para o digital.”

Para o ano, a expectativa da entidade é de vendas 10% a 15% maiores do que as apresentadas em 2017. A associação vai atuar proativamente para apoiar o crescimento, operando para a garantia de segurança jurídica para os investimentos, tanto brasileiros como estrangeiros, e o fortalecimento da indústria eletroeletrônica e da sua importância no desenvolvimento econômico do País.

“As fabricantes querem ser ouvidas e a ELETROS pretende colaborar cada vez mais para a construção das políticas econômicas brasileiros. Sabemos da importância do nosso setor, que representa 3,34% do PIB industrial”, afirma o presidente.

Marcado , , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.

  • Invista no valoragregado.com

    Invista no valoragregado.com