Microduino traz ao Brasil novo kit de entrada com baixo custo para ensino de robótica em escolas

Microduino traz ao Brasil novo kit de entrada com baixo custo para ensino de robótica em escolas

A Microduino, uma das líderes mundiais em kits para o ensino STEM/STEAM (sigla em inglês que abrevia as áreas de Ciências, Tecnologia, Artes e Matemática) com presença em 5 continentes, lança no Brasil e no mundo mais uma solução voltada a instituições de ensino. Pensado para ser a porta de entrada na implementação de práticas relacionadas a robótica e eletrônica, o Ideaboard chega com a missão de trazer maior custo-benefício, aliando possibilidades de criação de projetos básicos em sala de aula via Scratch.

“Trata-se de mais um grande passo para a Microduino pois o Ideaboard já possui alguns sensores que permitem aos professores a introdução de projetos de robótica de maneira intuitiva gradual (aos alunos. Isso significa um grande avanço tanto do ponto de vista operacional, já o que os kits também foram pensados para proporcionarem maior custo-benefício e, portanto, maiores condições de inicialização de iniciativas voltadas à eletrônica nas escolas”. Pesquisas indicam que 85% dos empregos do futuro ainda não existem. E com o avanço da tecnologia saber conversar com uma máquina (programá-la) será tão necessário quanto qualquer língua. Com isso, a marca entende como essencial a popularização do ensino de robótica no país. “O Ideaboard diminui o investimento inicial de uma escola em um fator de 10, chegando a ter um custo equivalente a um livro/apostila pedido por escolas como material obrigatório”, comenta Gustavo Chien, Diretor da Microduino no Brasil.

Um pouco sobre o conceito STEAM aplicado pela Microduino

O conceito STEAM surgiu em 1890 na Universidade de Chicago onde a escola seria como uma comunidade em que os estudandes pudessem se envolver em soluções de problemas reais de forma multidisciplinar. Com isso, a Microduino propõe um modelo de ensino onde se tem o espaço para cada atividade e depois o próprio estudante é quem liga os pontos. Nessa metodologia devem ser disponibilizados recursos para que o aluno desenvolva conceitos de Física, Química, Biologia e suas aplicações tecnológicas de maneira estruturada, todas em torno da Matemática, mas com liberdade para criação.

Microduino descomplica a robótica durante a 25ª Bett Educar

Pensando em trazer seus benefícios de forma prática, assim como todos os kits da Microduino sugerem, o Ideaboard será apresentado a educadores durante a 25ª edição da Bett Educar, Nesse ano, a Microduino traz literalmente o clima de sala de aula em seu stand. Com cadeiras que mais se parecem com as carteiras de uma classe ( em um espaço de 28m2, a marca programa para o maior evento de educação da América Latina e um dos principais do mundo três workshops que mostrarão de maneira muito prática como educadores podem implementar e adaptar o ensino de diversas matérias fazendo uso do novo kit Ideaboard, além dos já presentes mCookie e mPie.

Também serão apresentados exemplos de aplicações focadas em Inteligência Artificial e Internet das Coisas, como forma de introdução dos temas para sala de aula. Outro workshop especial preparado pela Microduino será focado em apresentar a professores em primeira mão no Brasil a versão 3.0 do Stratch, hoje considerado o software mais utilizado para o ensino de programação a crianças no mundo.

Confira a programação e horários dos workshops durante a Bett Educar 2018:

Dia 08/05

13:00 – 13:45 – Introdução ao Scratch 3.0 + Ideaboard

16:00 – 17:30 – Scratch 3.0 + mCookie – programação física para educadores

Dia 09/05 a 11/05

09:00 – 10:00 – Programando com as mãos – Oficina de mPie

13:00 – 13:45 – Introdução ao Scratch 3.0 + Ideaboard

16:00 – 17:30 – Scratch 3.0 + mCookie – programação física para educadores

Foco em escolas para crescer no Brasil

Fundada em 2012 por quatro amigos que se conheceram no Makerspace Beijing, o primeiro makerspace da China, hoje a empresa é uma gigante na China com uma base de mais de mais de 5 milhões de usuários dos kits entre crianças e jovens. Desde 2013 criou base em Los Angeles, nos Estados Unidos. Em agosto de 2013, anunciou seu primeiro projeto no Kickstarter, a menor placa baseada no Arduino do mundo na época, e alcançou sua meta de 20 mil dólares em menos de 3 dias, levantando mais de 130 mil dólares ao final da campanha.

Na prática, os kits da Microduino fazem o que muitos até adultos sonhavam até então: dar vida a blocos de LEGO. A “mágica” ocorre por meio do uso de módulos eletrônicos que modificam o comportamento de um carrinho ou boneco quando são empilhados magneticamente sobre uma pequena placa Arduino.

A empresa tem como foco o setor de educação no Brasil, por isso direciona as atenções a linha MCookie (mCookie), versão programável voltada ao ensino em escolas formado por peças de LEGO e componentes como Bluetooth, Wi-Fi, e GPS.

Lançado em 2015 após a terceira campanha de captação realizada via Kickstarter, tendo recebido mais US$ 160 mil em investimento é programável através de diferentes softwares e a solução perfeita para o ensino de programação e robótica para crianças a partir de 9 anos.

“O MCookie traduz muito bem o potencial da metodologia STEM/STEAM que pode ser aplicado de maneira prática e interativa em sala de aula e em diversas áreas do conhecimento – da matemática à biologia – com exemplos práticos aos alunos”, afirma Chien. Os kits MIX Education são compostos pelos módulos, sensores e atuadores do mCookie, software para programação (Scratch, Mixly e IDE do Arduino) e por cards do educador com diversos projetos interessantes para serem aplicados em sala de aula.

Blocos de montar e aprender eletrônica para todas as idades

Para completar o pool de kits já desenvolvidos pela Microduino, estão – em ordem a linha mPuzzle, para crianças até 5 anos, voltada para o ensino de circuitos e eletrônica, é a porta de entrada para o mundo make; a linha mPie, recomendada para crianças acima de 7 anos que ainda estão dando o primeiro passo no aprendizado de ciências traz conceitos de eletrônica e programação de forma lúdica.

De acordo com Gustavo, “o mPuzzle não tem programação envolvida, mas traz conexões magnéticas e componentes eletrônicos básicos. Já, o mPie tem botões, LEDs e sensores e permite ligações magnéticas na horizontal para apresentar noções de programação e eletrônica”, conta. Para completar, a linha Microduino, que leva o nome da marca, é ideal para o Maker ao oferecer módulos mais avançados para prototipagem de produtos e soluções de IOT.

“O que mais nos motiva é grande desafio na mesma medida que é melhorar o nível da educação das crianças e jovens por aqui. Enxergamos que o futuro passa, inevitavelmente, pelo entendimento cada vez maior da tecnologia. Queremos ajuda-los a ser preparar para o momento onde todos deverão compreender sobre programação assim como português e matemática, por exemplo”, finaliza Gustavo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.