Foi dada a largada para o Programa Global Scholars da Cargill

A 5ª edição do Programa Global Scholars, desenvolvido pela Cargill, teve início entre os dias 21 a 24 de agosto, em evento que marca o primeiro encontro dos estudantes selecionados e seus mentores. O encontro contou com uma cerimônia de premiação dos alunos de nove universidades brasileiras que demonstraram excelente desempenho acadêmico e potencial de liderança e receberão apoio financeiro e mentoria pelos próximos dois anos.

Além do valor de 2,5 mil dólares para auxiliar com quaisquer despesas relacionadas à vida acadêmica, os estudantes terão a oportunidade de vivenciar a experiência de liderança por meio de seminários, eventos de networking e um programa de mentoria com executivos da Cargill. Para participar, os alunos matriculados entre o segundo e sexto semestre letivo apresentaram uma média global acima de 7,5 e proficiência na língua inglesa.

João Marco Barros, aluno da Universidade de São Paulo (USP), foi um dos estudantes que tinha esse perfil e agora está participando do Programa Global Scholars. “Posso dizer que os seminários e a convivência com os outros nove estudantes têm agregado muito para minha vida. Entendi que ser líder é encontrar o equilíbrio entre se preocupar com o próximo e ao mesmo tempo atingir objetivos e metas. Certamente sairei dessa experiência muito mais preparado para enfrentar qualquer tipo de desafio”, afirma.

Do mesmo modo, a mentoria também é um dos grandes diferenciais na preparação para o mercado de trabalho. Essa foi uma das inspirações da Luana Rosa de Souza, da Universidade Federal do Paraná, “Quero me tornar uma embaixadora de tudo o que eu aprender aqui e espalhar o conhecimento que adquirir. O acesso a esse tipo de preparação e orientação com executivos de tanta qualidade me diferencia desde já”.

De acordo com Letícia Souza, gerente industrial da unidade de Rio Verde da Cargill, essa troca de experiências de crescimento pessoal e profissional é importante tanto para o aluno quanto para os mentores da Cargill. “No início ser uma mentora parece uma tarefa complicada, já que o conflito de gerações é evidente. Eles são ansiosos, inquietos, querem respostas rápidas e tem muita sede de aprendizado. Com o tempo você vai percebendo que são essas características que os tornam diferentes dos demais e é muito bom poder contribuir com quem tem esse perfil”, finaliza.

Marcado , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.