Fim do E-sedex: especialista dá dicas para frete não pesar no bolso do lojista e dos clientes

Fim do E-sedex: especialista dá dicas para frete não pesar no bolso do lojista e dos clientes

Depois do anúncio dos Correios sobre o fim do e-Sedex, lojistas virtuais sofrerão um grande impacto na hora de enviar seus produtos para os clientes. Mas o que realmente muda para o pequeno e médio lojista? E para o consumidor? O envio ficará mais caro?

O e-Sedex era um serviço dos Correios para remessa expressa de mercadorias de até 15 kg adquiridas por meio do comércio eletrônico, com preços diferenciados para as lojas online que contratavam este serviço. Com a descontinuidade do serviço, lojistas e clientes perderam a forma mais econômica de envio e estão preocupados com o impacto nos valores dos produtos.
Pensando nisso, Filipe Belmont, especialista em comércio eletrônico da Loja Integrada – plataforma mais popular de lojas virtuais do país- destacou as principais mudanças e deu dicas para os lojistas e consumidores virtuais:

Invista em parcerias e novas formas de envio

Os lojistas que usarem os Correios, a partir de agora, devem escolher outros serviços como PAC – mais barato e com prazo maior de entrega – ou Sedex – mais caro e prazo bem mais rápido de entrega.

Também é possível fazer parcerias com transportadoras e plataformas de logística para e-commerce que otimizam o envio. Como por exemplo, a Mandaê, que oferece serviço para que pequenos e médios e commerces enviem seus produtos por uma rede de entregas eficiente e simples.

Já para o consumidor das lojas virtuais, a dica é ficar de olho nas alterações de preços – tanto nas formas de envio, como no produto. Se a opção for Sedex, o cliente receberá o produto mais rápido, mas o valor pode chegar a ser 30% maior que o extinto e-Sedex. Quem optar pelo PAC – que funciona somente de segunda a sexta-feira – pagará menos, mas deve esperar mais pela entrega.

Busque promoções e encha seu carrinho

Uma dica para os lojistas é tentar vender produtos que estão encalhados no estoque e que possam ser vendidos com preço mais barato. Fazer combos com valores acessíveis também incentiva o consumidor a comprar.

Já para quem vai comprar pelos sites, a dica é pesquisar promoções e aproveitar a oportunidade para obter mais de um produto na loja, assim é possível diminuir o valor do frete.

Uma outra opção para o lojista, que tiver suas vendas concentradas nos grandes centros urbanos, é oferecer a entrega via motoboy, dependendo do ticket médio e também da demanda do seu público-alvo.

O lojista que tiver loja física poderá disponibilizar a opção de retirada no local. Isso pode até mesmo estimular a compra de mais produtos.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.