Maior plataforma de avaliação de crédito da Ásia começa no Brasil projeto de conquistar a América

A Wecash está trazendo ao país seu modelo disruptivo de análise de risco, oferecendo às instituições financeiras brasileiras, um relatório de crédito gratuito 100 vezes mais profundo do que os produzidos pelos bureaus de crédito em atuação por aqui.

Listada entre as 100 maiores fintechs do mundo, a Wecash usa Inteligência Artificial, Machine Learning, Computação Cognitiva, Modelos Computacionais de Predição de Risco, Blockchain, Big Data, Mineração de Dados, Psicometria e Computação em Nuvem.

São Paulo, 17 de fevereiro de 2017. Após se transformar na maior plataforma de avaliação de risco de crédito da Ásia em 3 anos de existência, a Wecash chega ao Brasil com a meta de figurar, o mais rápido possível, entre as três maiores empresas de empréstimo das Américas. Considerada pela KPMG como uma das 100 melhores fintechs do mundo, a Wecash aposta na união entre as ferramentas tecnológicas mais avançadas do setor e um modelo disruptivo de negócios. Gratuito para instituições financeiras, o Relatório Wecash avalia inúmeras dimensões do relacionamento da pessoa com o dinheiro, que fica pronto em 15 minutos ou menos. Por ser gratuito, o relatório Wecash garante uma economia na ordem de bilhões de reais à receita dos bancos e instituições financeiras, mas também traz outros benefícios subjacentes, como dados pessoais validados de uma forma mais aprofundada.

O Chief Operating Officer (COO) da Wecash, o brasileiro Roger Madeira, e também responsável pela expansão da empresa na América Latina, explica que o próprio processo de remuneração da empresa é uma demonstração de confiança na eficiência de seu sistema de avaliação de crédito. Segundo ele, quando a Wecash emite seu relatório a respeito de uma pessoa para uma instituição financeira e esse cliente é aprovado para receber o empréstimo, a empresa só passa a receber uma comissão dos bancos à medida que o tomador de crédito pague as prestações assumidas. “A Wecash só é remunerada em caso de sucesso mensal da operação.”, ele diz.

Graças a este modelo, a Wecash já conta com mais de 63 milhões de usuários ativos e um valor de mercado próximo a R$ 1 bilhão. A empresa possui unidades no Vale do Silício (Estados Unidos), Pequim (China), Indonésia, Vietnam e São Paulo (Brasil).

O COO comenta que a chegada do modelo de negócios da Wecash ao Brasil ataca diretamente o primeiro problema do modelo de análise de crédito praticado no país, que é o custo da consulta à negativação das pessoas. Segundo ele, este fator resulta num prejuízo anual de bilhões de reais à receita bancária. “Esse custo encarece a concessão de crédito na medida em que ele é transferido para a taxa de juros do empréstimo. No fim, quem paga a conta é o próprio tomador”, explica.

Para o COO, o modelo de negócios da Wecash ganha relevância num momento de estagnação na concessão de crédito, como esse que estamos vivendo no Brasil atualmente. Segundo ele, ao diminuir o risco dos bancos oferecendo uma informação mais confiável e ao mesmo tempo um custo menor para a avaliação de crédito, a Wecash une com sucesso as duas pontas, o banco que deseja emprestar e a pessoa que precisa do empréstimo, porém com juros mais baixos.

Para alcançar tais resultados, a empresa construiu uma infraestrutura tecnológica para extrair, processar, relacionar e validar mais de oito mil variáveis e dados sobre cada consumidor em tempo real, o que possibilita gerar um relatório altamente detalhado sobre o perfil de risco de uma pessoa. Isto é feito com o suporte de uma plataforma integrada de avaliação de crédito e análise de risco que combina as tecnologias mais avançadas do setor: Inteligência Artificial, Machine Learning, Computação Cognitiva, Modelos Computacionais de Predição de Risco, Blockchain, Big Data, Mineração de Dados, Psicometria e Computação em Nuvem.

O produto extraído da plataforma, ou o Relatório Wecash, contém então milhares de informações extraídas de múltiplas fontes, como as relações sociais e familiares, os hábitos de consumo e gerenciamento financeiro, além de milhares de dados comportamentais. Somando tudo, o resultado é uma estratégia que reduz assimetria, inconsistência, fraudes e erros de interpretação, com uma efetividade superior a 95%. De acordo com o executivo, por meio desta gestão, as instituições conseguem ampliar suas margens de faturamento, ao mesmo tempo em que baixam as taxas de juros, reduzem custos operacionais e o tempo de aprovação, evitando a fuga de clientes e diminuindo os índices de inadimplência.

“Os bancos brasileiros atualmente consultam dois ou três sistemas, que fornecem uma visão bidimensional do risco, ou seja, apontam o tempo e as ocorrências negativas de crédito dos últimos cinco anos. Por não identificar padrões de relacionamento saudáveis da pessoa com o dinheiro, este tipo de leitura traz uma visão limitada sobre o verdadeiro potencial de consumo de crédito ou o risco do cliente”, explica o COO. “Utilizar apenas essa referência pode induzir a erros. É preciso mais dados para se tomar uma decisão lucrativa. Na Wecash, avaliamos o relacionamento que a pessoa tem com suas finanças, considerando todos os canais pelos quais a pessoa gerencia sua renda, como cartão de crédito, conta bancária, empréstimos e ativos próprios”.

A solução tecnológica da Wecash foi validada na China, um dos mercados economicamente mais complexos e competitivos do mundo. E a Wecash vislumbra o mesmo ritmo de crescimento no Brasil e espera ampla adesão dos bancos, projetando rápida expansão para Argentina, Uruguai, Chile e México.

Marcado , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.