Transformação Digital terá impacto em diferentes setores econômicos, segundo Frost & Sullivan

Transformação Digital terá impacto em diferentes setores econômicos, segundo Frost & Sullivan

Durante a 13ª edição do evento Unisys Tech Forum 2016, realizado em Atenas, Grécia, a empresa contou com conferências de seus principais especialistas e também com a presença de analistas da Frost & Sullivan, que expuseram seus conhecimentos sobre megatendências e transformação digital no mundo.

Segundo um estudo da Frost & Sullivan, 50% dos entrevistados admitiram terem sido fortemente impactados pela transformação digital, e por isso eles já implementaram algumas mudanças em seus modelos de negócios, enquanto 37% se sentiram afetados por esta tendência, mas ainda não implementaram qualquer melhoria ou implementação.

O uso de tecnologias da informação no mundo dos negócios tem permitido às empresas de diversos setores alterar o “chip” para serem cada vez mais digitais e, assim, desfrutar dos diferentes benefícios do uso de Advanced Analytics, IoT, Cloud, BYOD, Comunicações Unificadas, Apps, entre outros, para oferecer melhores serviços, produtos e experiência aos seus consumidores.

Em sua apresentação, Alexander Michael, Diretor de Consultoria e Transformação Digital da Frost & Sullivan, falou sobre as diferentes mudanças no negócio tradicional para o modelo digital a partir da implementação de soluções de tecnologia da informação.

Companhias aéreas:

As companhias aéreas estão buscando oferecer melhores experiências a seus viajantes, que são cada vez mais exigentes e complexos, e precisam implementar estratégias para atingir estes objetivos ao mesmo tempo em que aumentam suas margens de lucro.

Para isto, a automação, digitalização e análise de dados são fundamentais para alcançar as mudanças necessárias e tomar um caminho para a transformação digital, que nos levará a uma imagem diferente no setor: novos aeroportos maiores, com mais pistas e maior conforto; infraestrutura moderna de aeroportos inteligentes; autosserviço para compra de voo, check-in, entrega de bagagens e processo de embarque; novo paradigma de negócio com o varejo como um novo recurso para apoiar o sustento dos aeroportos; viajantes conectados com dispositivos, beacons e realidade aumentada; novos modelos de negócio com IoT, inteligência artificial e nuvem; cidades aeroportos como uma realidade; e segurança integrada tanto no plano digital como no físico.

Varejo:

A automação da integração com o cliente é fundamental para prever e personalizar a experiência dos consumidores em áreas de comércio, e as tecnologias que estão tornando esta mudança possível são: impressão 3D, computação em nuvem, IoT, tecnologias móveis, robótica, dispositivos wearables, analytics, inteligência artificial, entre outras.

Setor Público:

A previsão é de que em 2025 existam cerca de 100 “cidades inteligentes” no mundo, ao mesmo tempo que os governos estão cada vez mais conscientes da necessidade de tecnologias de informação para enfrentar novos desafios. Esta tecnologia envolve o uso de coleta de dados, análise de informação e apoio às decisões e atividades.

Evidentemente, os desafios dependem da situação de infraestrutura, transporte, habitação, serviços básicos, densidade populacional de cada cidade. Igualmente, é importante lembrar que a tecnologia por si só não é a cidade inteligente, e que ela existe para melhorar as relações com os cidadãos e fornecer melhores serviços.

Serviços Financeiros:

A tecnologia mudou muito o setor financeiro no mundo e a criação das FinTechs contribuíram para gerar novas experiências para os consumidores. No entanto, esta indústria continua a reinventar-se para oferecer novos serviços a partir da transformação digital com: transações automatizadas mediante equipes com capacidade de aprendizagem de algoritmos (machine learning) para identificar padrões imperceptíveis aos humanos; assessores automatizados para a atenção de serviços básicos, o que significa grande economia de custos para as instituições bancárias e satisfação imediata do cliente; carteiras inteligentes para os consumidores fazerem seus pagamentos e compras, como um assistente financeiro pessoal; IoT e análise avançada de dados para agregar valor a uma tendência que está se transformando, permitindo a análise de risco de seguro de uma pessoa a partir dos dados; e ferramentas de análise de fraude capazes de aprender os padrões e sua evolução, permitindo prevenir novas formas de fraude e, portanto, assegurar as transações dos consumidores.

Para Alexander Michael, Diretor de Consultoria da Frost & Sullivan, “tão importante quanto se planejar e investir no novo conceito, a empresa deve saber mensurar os resultados positivos e os efeitos da Transformação Digital para seus negócios”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.