Experiência profissional no exterior está entre as três mais desejadas na carreira, diz pesquisa

Experiência profissional no exterior está entre as três mais desejadas na carreira, diz pesquisa

Nova pesquisa “Carreira dos Sonhos”, elaborada pelo Grupo DMRH em parceria com a Nextview People, aponta que trabalhar em outros países, imersos em outras culturas, está em primeiro lugar entre as experiências que jovens em início de carreira (77%) e profissionais de média gestão (55%) gostariam muito que fizesse parte de sua trajetória profissional. Além disso, quando perguntados sobre o que fariam diferente se o dinheiro não fosse um problema, a maior parte dos jovens (41%) disse que viajaria mais.

Quando questionados sobre as três coisas mais importantes na vida, viajar e conhecer outras culturas foi a segunda opção mais citada pelos jovens (47%), atrás apenas de sucesso profissional (67%). Esse item também ficou entre as três coisas mais importantes na vida para a média gestão, sendo citado por 33% desses profissionais. Apareceu em terceiro lugar, depois de sucesso profissional (62%) e boa relação familiar (50%).

“Uma excelente forma de vivenciar experiências fora do país que contribuam para o desenvolvimento de carreira, principalmente dos jovens, é por meio do intercâmbio”, afirma Carla Esteves, sócia-diretora da Cia de Talentos, empresa do Grupo DMRH. “Acreditamos que essa é uma das experiências mais intensas que se pode ter. Além de levar à fluência em outro idioma, o intercâmbio coloca a pessoa em um ambiente novo, completamente diferente do que está acostumado, interagindo com desconhecidos e tendo que analisar situações, tomar decisões e agir sozinha”, complementa.

Isso tudo, segundo ela, faz com que o profissional traga na bagagem de volta uma série de competências que são valorizadas pelo mercado. “A experiência do intercâmbio, independentemente do modelo escolhido, desenvolve a autonomia, a autoconfiança, a capacidade de adaptação, a resiliência, o relacionamento interpessoal e amplia significativamente o repertório cultural do participante”, diz Patrícia Zocchio, CEO da Experimento Intercâmbio Cultural, maior rede especializada exclusivamente em intercâmbio cultural no Brasil.

Se o objetivo é ter uma carreira internacional, é interessante aproveitar o intercâmbio não só para estudar um idioma, mas também para trabalhar. “A interação com profissionais de culturas diferentes em um contexto de trabalho expõe a pessoa a situações que viverá em uma carreira internacional. E isso com certeza traz vantagens na hora de disputar uma vaga. Além disso, ainda pode render um networking valioso no futuro”, ressalta a sócia-diretora da Cia de Talentos.

Uma das apostas da Experimento para este ano são os programas que, além do curso de idiomas, oferecem também formação universitária ou profissionalizante e ainda a opção de trabalhar durante o intercâmbio, recebendo salário na moeda local. “Em um período de oscilação econômica, esse tipo de programa ganha muito mais visibilidade”, afirma Patrícia.

A pesquisa “Carreira dos Sonhos” entrevistou 72.593 profissionais entre fevereiro e março deste ano, e tem como objetivo retratar quais são as aspirações profissionais e as empresas dos sonhos de profissionais de diferentes gerações (jovens, média gestão e alta liderança). Mais detalhes sobre a pesquisa podem ser encontrados no site: www.carreiradossonhos.com.br.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.