Algar Telecom tem lucro de R$ 30,1 milhões no primeiro trimestre de 2016

Algar Telecom tem lucro de R$ 30,1 milhões no primeiro trimestre de 2016

Mantendo sua estratégia para obter mais eficiência operacional, a Algar Telecom encerrou o primeiro trimestre deste ano com R$ 30,1 milhões de lucro líquido, frente aos R$ 29,2 milhões registrados no 1T15. A margem sobre a receita operacional líquida se manteve estável em 5%. A evolução do lucro líquido, mesmo frente ao maior nível de despesas financeiras líquidas, é decorrente do maior resultado operacional (EBIT) no período.

O EBITDA cresceu 15,7% em relação ao registrado no mesmo período do ano anterior, chegando a R$ 165,3 milhões. A margem EBITDA consolidada evoluiu 2 p.p. O crescimento consolidado da receita líquida foi de 5,5%, alcançando R$ 606,7 milhões.

“Temos três grandes metas no negócio de Telecom: manutenção e proteção da base de clientes do segmento varejo, expansão do segmento corporativo e a melhoria da eficiência operacional. Os bons resultados comprovam que temos gerado valor para a sociedade por meio de crescimento, lucratividade, satisfação de clientes e de nossos associados”, afirma o presidente da Algar Telecom, Jean Carlos Borges.

Destaques do 1T 2016

Crescimento de 58,3% nos acessos de ultra banda larga (acima de 10MB);
Evolução de 17,7% nas receitas de Telecom do segmento corporativo;
EBITDA consolidado cresce 15,7%, alcança R$ 165,3 milhões e margem sobe 2p.p.

Desempenho econômico financeiro

– Receita bruta consolidada: aumento de 5,7% em relação ao 1T15, somando R$ 787,1 milhões.

– Negócio Telecom: registrou R$ 575,2 milhões de receita bruta, acréscimo de 9,0% ao montante auferido no 1T15. Os maiores destaques do período foram aumento de 17,7% (R$ 28,8 milhões) nas receitas de serviços de dados para o mercado corporativo e de 12,6% (R$ 12,0 milhões) nas receitas de voz e dados móveis.

– Soluções integradas de TIC e BPO: a receita bruta consolidada do negócio Soluções integradas de TIC e BPO atingiu R$ 211,9 milhões, uma redução de 2,2% em relação ao 1T15. Essa queda não se evidencia no desempenho da receita liquida, que cresceu 1% (R$ 1,9 milhão) no comparativo com o 1T15, resultado de um trabalho focado de governança e eficiência tributária. Ao final do 1T16 as receitas de TI representavam 52% da receita total desse negócio.
– Receita líquida consolidada: totalizou R$ 606,7 milhões – evolução de 5,5% em relação ao 1T15.

– Lucro líquido: encerrou o primeiro trimestre com R$ 30,1 milhões de lucro líquido, frente aos R$ 29,2 milhões registrados no 1T15. A margem sobre a receita operacional líquida se manteve estável em 5%. A evolução do lucro líquido, mesmo frente ao maior nível de despesas financeiras líquidas, é decorrente do maior resultado operacional (EBIT) no período.

– EBITDA consolidado de R$ 165,3 milhões no 1T16, um aumento de 15,7% em relação ao ano anterior que registrou R$ 142,8 milhões. A margem EBITDA consolidada evoluiu 2 p.p., saindo de 25% para 27%.

– EBITDA do negócio Telecom atingiu R$ 150,5 milhões no 1T16, uma expansão de 17,1% sobre o 1T15. A margem, por sua vez, passou de 33% para 36%, um crescimento de 3 p.p.

– O negócio Soluções Integradas de TIC e BPO encerrou o primeiro trimestre de 2016 com R$ 14,8 milhões de EBITDA, 3,7% superior ao contabilizado no mesmo período do ano passado. A margem permaneceu estável em 7%.

– Investimentos: no 1T16 foram investidos R$ 80,2 milhões, ante R$ 85,2 milhões no mesmo período do ano anterior. Do total, 57% foi direcionado à expansão das redes – com destaque à infraestrutura necessária à oferta de serviços de dados ao mercado corporativo e a modernização e ampliação das redes de banda larga, levando fibra óptica até as residências em substituição à rede metálica; 5% para o crescimento dos serviços de soluções integradas de TIC e BPO e 38% para garantir a manutenção e a qualidade das operações.

Desempenho operacional

– Telecom: Ao final do 1T16, a Algar Telecom apresentava mais de 3,4 milhões de unidades geradoras de receita (UGRs) em seu negócio Telecom, uma adição líquida de 271 mil em relação ao mesmo período do ano anterior. O crescimento de 8,6%.

– Telefonia fixa: alcançou 1,522 milhão de linhas fixas, superando em 12,6% o número registrado no 1T15. Esse desempenho é reflexo, principalmente, do aumento das vendas ao segmento corporativo.

– Telefonia móvel: os acessos móveis evoluíram 6% no comparativo com o 1T15 e registrou 1.277 mil clientes no 1T16. O número de clientes pré-pagos aumentou 3,5%, passando de 917 mil no 1T15 para 948 mil no primeiro trimestre deste ano, estimulados pelo plano com pacote de dados de 50MB. Os pós-pagos, por sua vez, cresceram 14,1% no período e alcançaram 329 mil. A receita média por usuário (ARPU) de janeiro a março deste ano foi de R$ 21,32.

– Banda larga: no 1T16 o número de acessos de banda larga fixa evoluiu 10,5%, atingindo 438 mil. Este crescimento é resultado dos constantes investimentos da companhia na expansão e modernização da rede. Ao final do trimestre, a empresa somou cerca de 152 mil clientes com planos de ultra banda larga (velocidade acima de 10Mbps), o que representa 35% da base total de banda larga fixa. A banda larga móvel, por sua vez, permaneceu praticamente estável, totalizando 104 mil acessos no período. No consolidado, o número de acessos cresceu 8,4% em relação ao 1T15 e encerrou o trimestre com 542 mil.

– TV por assinatura: encerrou o 1T16 com um decréscimo de 11,6% se comparado ao mesmo período do ano passado. Esse resultado é decorrente de um maior foca da companhia em ofertar com maior ticket médio.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.