NEC dá início à construção do Sistema de Cabos do Atlântico Sul

view.aspx

Primeiro sistema de cabos submarinos a conectar a África e a América Latina incentiva o intercâmbio comercial e econômico entre os continentes

A NEC Corporation, provedora líder de sistemas de Tecnologia da Informação (TI), e a Angola Cables S.A., operadora de telecomunicações angolana, anunciaram hoje que o contrato para a construção do Sistemas de Cabos do Atlântico Sul (SACS), o primeiro sistema de cabos de fibra óptica submarino no hemisfério sul a conectar diretamente a África e a América do Sul, teve sua execução iniciada. Com conclusão esperada para 2018 e custo estimado em US$ 160 milhões, o projeto será financiado pelo Japan Bank for International Cooperation (JBIC) e pela Sumitomo Mitsui Banking Corporation (SMBC), com apoio da Nippon Export and Investiment Insurance (NEXI), por meio do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA).

O SACS vai conectar a capital angolana Luanda à cidade brasileira de Fortaleza (CE) numa linha direta entre os continentes africano e sul-americano com extensão de 6,2 mil quilômetros pelo Oceano Atlântico. Essa linha é capaz de realizar transmissões de dados de altas velocidade e capacidade. Além disso, a partir de Fortaleza, o sistema permite a conexão entre Angola e Miami, nos Estados Unidos, por meio de outro sistema de cabos submarinos.

Dotado de tecnologias ópticas de última geração, o SACS deve ser o sistema submarino de telecomunicações mais avançado do mundo. Conectado a um centro de controle que conta com tecnologia Software-Defined Networking (SDN), o SACS será capaz de suportar aplicações de largura de banda intensiva e terá um design inicial para capacidade de 40Tpbs (100Gbps x 100 comprimentos de ondas x 4 pares de fibra).

“Nosso maior objetivo é aprimorar a qualidade das comunicações entre a África e as Américas com uma rota inteiramente nova no hemisfério sul. Por meio dessa rota, vamos oferecer capacidade, produtos e suporte em adequação às cada vez mais complexas especificações de dados demandadas nos dois continentes”, afirma o CEO da Angola Cables, António Nunes. “O SACS contará com tecnologia de última geração e um projeto 100G-coerente que vai proporcionar baixa latência e entrega confiável mesmo nas demandas de largura de banda mais desafiadoras, além de conectividade direta entre data centers nos dois lados do oceano”.

“O Sistema de Cabos do Atlântico Sul é o único a conectar diretamente Angola ao Brasil e ao resto do mundo. A NEC Corporation se orgulha de ser a empresa que vai implementar o sistema e gostaria de agradecer à Angola Cables a oportunidade de fazer parte desse projeto”, disse o diretor-geral da divisão de Redes Submarinas da NEC, Toru Kawauchi. “Gostaríamos de estender ainda nossa gratidão ao JBIC, ao SMBC e à NEXI por apoiar essa iniciativa. Sem esses parceiros, o SACS não seria possível. Como um dos maiores provedores de sistemas de cabos submarinos no mundo, com mais de 40 anos de experiência no segmento e mais de 200 mil quilômetros de cabos instalados, a NEC está absolutamente comprometida com a conclusão desse projeto e em desenvolver a atual relação comercial que possui com a Angola Cables”.

Marcado , , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.