Huawei lança estudo sobre tendências para Small Cells em 2020

Huawei lança estudo sobre tendências para Small Cells em 2020

A Huawei divulgou o seu estudo “Cinco tendências para Small Cells em 2020”, durante o Mobile World Congress 2016 (MWC 2016). A pesquisa mostra, para os parceiros da Huawei, a visão da empresa sobre o desenvolvimento da tecnologia Small Cell – que permite ampliar o sinal da rede de celular – para que juntos, contribuam para a construção de um mundo conectado.

O número de usuário globais da banda larga móvel (MBB) deverá alcançar 6.7 bilhões até 2020. A Internet das Coisas celular deverá registrar 1 bilhão de conexões em todo o mundo. O crescimento da popularidade da VoLTE, vídeo 4K, realidade virtual, dispositivos vestíveis inteligentes e implantáveis, o tráfego móvel diário de um único usuário deverá ultrapassar 5GB. Este nível de tráfego fará com que a rede não cumpra as crescentes expectativas quanto à experiência do serviço.

Ao mesmo tempo, a aceleração da urbanização criará ainda mais hotspots em áreas urbanas, tornando o tráfego de dados distribuído de forma mais desigual. “A ‘Gbps’ fornece aos usuários serviços entregues instantaneamente. “A ‘Experiência 4.0’ torna os áudios e vídeos 4K acessíveis em qualquer lugar; e a ‘Conexão+’ abrirá um novo mundo de conectividade ubíqua”, disse Ryan Ding, diretor executivo e presidente de soluções e serviços da Huawei.

“As Small Cells desempenham um papel importante para as redes de banda larga móvel. Esta tecnologia pode construir vias expressas digitais em áreas de hotspots a fim de eliminar problemas de cobertura e melhorar a experiência do usuário, o que é fundamental para transformar em realidade as conexões entre pessoas e coisa”, apontou Peter Zhou, presidente da linha de produtos de Small Cells da Huawei, durante o MWC 2016.

Para atender as necessidades de desenvolvimento da banda larga móvel, as Small Cells facilitarão as cinco tendências:

1. Small Cells para criar novos modelos de negócios e ecossistemas industriais: a tecnologia será implantada mais perto dos usuários finais, o que permite o fornecimento de serviços com valor ampliado, ao mesmo tempo em que cria novos modelos de negócios e contribui para a construção de um novo ecossistema da indústria.

2. Digitalização interna para estimular a atualização da MBB: Uma mudança rumo a soluções digitais facilitará a transmissão de sistemas de cobertura internos a fim de acomodar serviços de voz e vídeo de alta definição para manter e melhorar ainda mais o crescimento da indústria MBB.

3. Small Cells multímodo, multibanda e com backhaul integrado ao ar livre para se adequar aos recursos de diversas instalações: As Small Cells atingem maior integração, permitindo a implantação multímodo e multibanda para aproveitar os recursos da instalação. As Small Cells são capazes de fornecer um backhaul wireless, o que permite a melhor mistura com o entorno ao mesmo tempo em que facilita a implantação local.

4. Convergência de espectros licenciados e não licenciados para melhorar a eficiência espectral: O suporte para a licensed-assisted access (LAA) e LTE + Wi-Fi link aggregation (LWA) permite a implantação combinada de espectros licenciados e não licenciados a fim de maximizar a eficiência espectral e melhorar rapidamente a experiência do usuário.

5. Small Cells ubíqua para estimular a evolução da arquitetura de rede: os controladores da rede de Small Cells serão construídos em uma nova arquitetura e permitirão que um grande número de Small Cells seja provido nas redes existentes com TCOs reduzidos para fornecer serviços adicionais.
Mais de 80% do tráfego móvel é gerado em ambientes fechados, especialmente em locais públicos. Sistemas de antenas distribuídas (DAS) são incapazes de fornecer capacidade de rede suficiente e atender as demandas de desenvolvimento de banda larga móvel. Nesse contexto, as Small Cells desempenharão um papel fundamental para prover hotspots em áreas abertas da cidade. No futuro, Small Cells externas permitirão novos modelos de negócios e grande largura de banda.

Soluções para espectros não licenciados melhoram a experiência do usuário ao custo do amplo uso da largura de banda, o que prejudica o desenvolvimento MBB em longo prazo. A combinação de espectros licenciados e não licenciados usando tecnologias como a licensed-assisted access (LAA) para melhorar a eficiência espectral é inevitável. Esta combinação espectral também pode ajudar a transformar em realidade a coexistência com as redes Wi-Fi para melhorar a experiência do usuário. Devido às restrições de consumo do espectro não licenciado, a combinação de espectros licenciados e não licenciados é aplicada principalmente em células pequenas internas. A solução one-box da Huawei permite que um único dispositivo use simultaneamente espectros licenciados e não licenciados e suporta a evolução da rede baseada na SDR a fim de reduzir o TCO das redes celulares.

O Service Anchor da Huawei é uma plataforma de abertura da capacidade da Small Cells que liga as redes de Small Cells e serviços de valor agregado com os assinantes finais. Esta plataforma permite que as operadoras, proprietários e desenvolvedores e integradores de serviços se beneficiem mutuamente e ajudem a construir um ecossistema favorável para o desenvolvimento das Small Cells.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.