Orçamento doméstico: 8 dicas para alcançar o equilíbrio financeiro em família

Wilson Muller, consultor do programa Vida Investe, da Fundação CESP, faz recomendações para melhorar a gestão dos gastos e o planejamento em conjunto

O consultor do Vida Investe, iniciativa da Fundação CESP (maior fundo de pensão patrocinado por empresas privadas do Brasil), Wilson Muller, preparou oito dicas para ajudar as famílias a alcançar o sucesso financeiro. O tema também será abordado em palestra promovida pelo programa, na próxima quarta-feira, 16 de abril, em Campinas (SP). Confira as recomendações do especialista:

1. Conversar sobre dinheiro
“É muito comum as pessoas não manterem o hábito de conversar sobre dinheiro e esse tabu precisa ser quebrado. É necessário que todos saibam como está o orçamento da família e se há dificuldades financeiras ou não. Se não há diálogo regular sobre o tema, fica mais difícil também planejar o futuro”, explica o consultor do Vida Investe.

2. Discutir grandes gastos
Wilson diz que não é aconselhável que um dos integrantes da família tome uma decisão que envolva grandes gastos, sem antes discuti-la com os demais e saber qual é o impacto da nova despesa no orçamento. “As decisões ganham qualidade quando são debatidas por duas ou mais pessoas”.

3. Controlar os gastos
Saber como e para onde o dinheiro vai todos os meses também é fundamental para alcançar o sucesso financeiro. “É por meio do controle do orçamento doméstico que a família tem a real dimensão de qual é a situação financeira, se é superavitária ou deficitária. Assim, fica mais fácil se organizar para liquidar eventuais dívidas e poupar”.

4. Planejar
O ideal, segundo o consultor do Vida Investe, é que a família converse para definir metas e objetivos conjuntos de curto, médio e longo prazo e traçar planejamentos, evitando, sempre que possível, financiar. “Quem pode pagar uma parcela maior para fazer uma viagem daqui a um ano, também pode poupar o mesmo valor para pagá-la à vista e fugir dos juros”.

5. Montar uma poupança
Manter o mesmo padrão de vida após a aposentadoria é um desafio, sobretudo, com o aumento das despesas relacionadas à saúde. “É importante que a família se programe para não ter surpresas no futuro. Planos de previdência e bens que geram renda, como imóveis, são algumas opções que podem ajudar a incrementar a renda”.

6. Ter poucas dívidas
Muitas vezes, as condições para financiar compras parecem atraentes, mas, afirma Wilson, o parcelamento nem sempre é a melhor opção no longo prazo. “O cálculo de juros não é uma conta simples e quase sempre a família acaba se perdendo. O ideal é manter apenas as dívidas essenciais, como o financiamento imobiliário, por exemplo”.

7. Prover educação financeira
De acordo com Wilson, mais do que oferecer uma educação acadêmica de qualidade, os pais devem ensinar os filhos a lidar com o dinheiro e a economizar desde cedo, para que eles não enfrentem problemas quando adultos. “Se a criança não souber lidar com dinheiro, ela pode ser um profissional com uma ótima formação, um excelente emprego, mas vai estar sempre endividado”, afirma.

8. Saber viver com menos do que ganha
“Uma família equilibrada é aquela que consegue se organizar para não comprometer toda a receita com os gastos do mês, mas que consegue poupar entre 15 e 20%, para que lá na frente, quando chegar a fase das aposentarias, o padrão de vida anterior seja mantido”

Marcado , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.