Mercado de recrutamento e seleção não sabe o que é crise

Na opinião da Talent Group, empresa de recrutamento, seleção e terceirização de mão de obra, o ano do setor foi positivo, mesmo com o relativamente fraco desempenho da economia brasileira. Um indicativo desse cenário seria o nível de emprego do Brasil. No acumulado de janeiro a outubro desse ano, segundo dados do Ministério do Trabalho, a geração de colocações formais somou 1,46 milhão de vagas, representando um aumento de 18,29% em comparação com o mesmo período de 2012.

“Percebemos nitidamente que o departamento de Recursos Humanos das empresas está cada dia mais preocupado com as questões estratégicas das organizações, focando o desenvolvimento de seus funcionários e a redução do turnover, que é elevada no Brasil”, conta Luiz Carlos Manni, diretor de estratégia e marketing da Talent Group.

Ele aponta que as consultorias de R&S já são vistas como parceiras do RH para o preenchimento dessas vagas, justificando o crescimento na carteira de consultoria da Talent Group, que teve um aumento real de 36,2% em comparação com 2012.

Retrospectiva
Como não poderia deixar de ser, o mercado ainda se recente da crise financeira internacional, que teve efeitos danosos na Europa. Menos abalados, os Estados Unidos demonstram sinais de reação e a China tem registrado expansão inferior aos últimos anos.

Manni lembra que, no caso do Brasil, o governo adotou uma série de medidas para estimular a economia ainda em 2012, gerando reflexos durante todo esse ano. Alguns exemplos são a desoneração de folha de pagamento em vários setores, a redução do IOF para empréstimos de pessoas físicas e a desoneração da linha branca e de automóveis.

Dificuldades
O diretor de estratégia e marketing da Talent Group ressalta que o principal desafio enfrentado na área de R&S durante o ano foi a escassez de mão e obra. Segundo um relatório divulgado recentemente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), as empresas enfrentam dificuldades para contratar pessoal qualificado às suas necessidades em diferentes níveis, do mais básico à gerência. A pesquisa constatou que 81% das empresas de grande porte estão insatisfeitas com a oferta de profissionais no mercado, mesma queixa apontada por 77% das médias e 64% das pequenas.

“Complementarmente, o maior desafio de empresas como a Talent Group sempre será acompanhar de perto o seu mercado e buscar a mais rápida e consistente formação de seus novos profissionais, para poder acompanhar o crescimento da demanda de seus clientes”, conta Manni.

Expectativas para o próximo ano
O mercado de R&S em 2014 deve ser marcado pela estabilidade, tanto no que diz respeito aos salários como ao número de vagas, excetuando-se os setores envolvidos mais diretamente com a Copa do Mundo. Segundo a Talent Group, as empresas continuarão a lutar pela retenção de talentos e pela contratação de profissionais com perfil adequado às suas necessidades. Nesse sentido, identificar os fatores que motivam o profissional na busca da felicidade e realização pode representar a diferença entre ter ou não ter a mão de obra necessária para os objetivos empresariais.

Nesse mercado, Manni aponta que a Talent Group encara 2014 como uma oportunidade de crescimento. “Nossa meta para 2014 é ter um crescimento de ao menos 10%, focando inicialmente no crescimento interno, já necessário para atender à atual demanda crescente do nosso mercado. Pretendemos ter uma equipe interna maior e cada vez mais forte, mais preparada, e mais coesa, o que resultará na percepção de nossos clientes, nos nossos resultados e no crescimento das parcerias”, finaliza.

Marcado , , , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.