Integração com o futuro na gestão de tecnologia de pequenas empresas

Por Mike Foreman

A ascensão dos serviços baseados em nuvem, dispositivos móveis e mídias sociais em ambiente corporativo está beneficiando as pequenas e médias empresas (PMEs) de várias formas. O uso intenso de smartphones e tablets é onipresente nas casas e em escritórios aumentou o ritmo, alcance e capacidade do trabalho, porém também apresentou às PMEs diversas dores de cabeça tecnológicas de uma só vez. Além disso, as notícias sobre programas de ciberespionagem promovidos pela agência de segurança americana NSA e o aumento de ciberataques focados em pequenas empresas motivam solicitações de maior regulamentação das questões de segurança e podem fazer com que pequenas ou grandes empresas sejam responsabilizadas por violações de dados.

Cerca de 2,5 bilhões de pessoas já se conectaram à internet desde que o início da história da AVG e muitos destes consumidores são pequenos empresários. Nos próximos 4 ou 7 anos, teremos outras 2,5 bilhões de pessoas conectadas à internet, ou seja, o mercado global das PMEs pode dobrar de tamanho neste período.

O papel-chave da indústria de TI neste cenário será ajudar estes usuários a compreenderem como aproveitar o melhor da tecnologia e evitarem “complicações”. Nosso estudo sobre PMEs, realizado no ano passado, indica que uma em cada três pequenas empresas não compreendem os serviços em nuvem e uma entre cinco acredita que este tipo de serviço seria apenas para grandes empresas. Outro dado revelado pelo estudo nos surpreendeu: as PMEs passam mais de 10% de seu tempo tentando resolver problemas de tecnologia.
Algumas práticas que estão sendo popularizadas no mundo corporativo ainda encontram entraves em pequenas e médias empresas. Esta mesma pesquisa apontou que só 6% das PMEs acreditam estarem prontas para que os colaboradores usem seus equipamentos pessoais no trabalho e só um terço das empresas tem políticas claras para isto. A implementação de políticas neste sentido é necessária e urgente, assim como políticas para uso de redes sociais.

Quanto ao cibercrime, a Federação de Pequenas Empresas do Reino Unido divulgou que 41% de seus membros foram vítimas de ataques virtuais nos últimos 12 meses, o que gerou um custo de aproximadamente quatro mil libras para uma dessas companhias. Três em cada 10 membros sofreram com fraudes por parte de clientes ou consumidores.

E o que as PMEs podem fazer em relação a estes problemas? A primeira recomendação é que mantenham seus serviços em um provedor de tecnologia confiável. Soluções de gestão e segurança para servidor em nuvem, como AVG Cloud Care e AVG Managed WorkPlace também são importantes. Lançamos esta plataforma integrada de administração de TI para PMEs, para facilitar o trabalho dos profissionais das pequenas empresas e contribuir para maior segurança, privacidade e uso inteligente dos recursos tecnológicos. A ideia é que as PMEs busquem soluções práticas, como nossa recém-lançada plataforma, para garantir que utilizem a tecnologia com tranquilidade no escritório, em casa ou na estrada.

Mike Foreman é vice-presidente sênior de Vendas da AVG Technologies

Marcado , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.