Pesquisa aponta a importância do conteúdo para as marcas no relacionamento com e-consumidores

A Hi-Mídia, empresa de mídia online especializada em segmentação e performance, e a M.Sense, especialista em estudos sobre o mercado digital, realizaram uma série de pesquisas intitulada Content Marketing, que faz um mapeamento do comportamento dos usuários na internet e avalia a importância do conteúdo nas estratégias de marketing das empresas, tanto como gerador de audiência quanto como fonte de informação na tomada de decisão de compra dos consumidores.

Foram ouvidas 3.820 pessoas das cinco regiões do país, sendo 847 respondentes sobre publicidade online (julho e agosto de 2012), 1.177 respondentes sobre conteúdo e interação com blogs (setembro de 2012) e 1.796 respondentes sobre internet mobile (maio e junho de 2012). A amostra segue aproximadamente a distribuição de região, sexo e classe social dos usuários de internet no Brasil. A metodologia adotada foi a de pesquisa quantitativa online por meio de questionário estruturado.

Dispositivos de acesso à internet

Não é possível falar em estratégia de conteúdo sem mencionar as mudanças quem vem ocorrendo no acesso à internet no Brasil. Os computadores (desktops e laptops) são a principal porta de acesso. Os laptops já estão inseridos nas classes A e B (penetração superior a 80% na classe A e superior a 70% na classe B). A classe C se apresenta como um novo e potencial mercado (49% dos portadores de laptop na classe C afirmam que esse é o equipamento de que mais sentiria falta se não pudesse mais utilizar).

Já os smartphones apresentam crescimento significativo em todas as classes. Vinte e cinco por cento dos portadores de smartphones compraram o primeiro aparelho nos seis meses anteriores à pesquisa e 38% pretendem trocá-lo em até seis meses. Na classe C, 74% usam aparelhos convencionais. Estima-se que a penetração de smartphones entre os usuários de telefonia móvel no Brasil chegue a 61% até 2016. Os principais fatores são a queda nos preços dos aparelhos e a necessidade do uso da internet móvel. A aquisição de tablets está limitada aos que já são usuários de smartphones, dada a ordem de prioridade de compra analisada na pesquisa.

Consumo de Mídia

No tempo livre, as principais atividades dos entrevistados são ler assuntos de que gostam na internet (45%), assistir a programas na TV fechada (43%) e acessar as redes sociais (34%). Enquanto a leitura de conteúdo na internet ocorre com igual importância em todas as classes, assistir a TV fechada, praticar exercícios, ler livros ou jornais e revistas decrescem com a renda.
A pesquisa quantifica o uso concomitante das mídias, principalmente TV e internet (68%). Mais do que usar as duas ao mesmo tempo, existe uma interação entre elas, como os comentários nas redes sociais sobre programas de TV, notícias e eventos esportivos. Dentre os usuários que acessam a internet enquanto assistem a TV 82% checam e-mails, 69% acessam as redes sociais e 65% lêem conteúdos de interesse.

De acordo com Bruno Maletta, responsável pela pesquisa na M.Sense, o uso de várias mídias ao mesmo tempo fragmenta a atenção do consumidor, aumentando a relevância da estratégia de conteúdo pelas empresas e possibilitando explorar a interação entre elas. “É fundamental para o anunciante estar em várias mídias que façam sentido para o consumidor, bem como produzir um conteúdo que o atraia. Para isso, entender cada vez mais os hábitos do consumidor é tão importante quanto entender a forma como ele usa o produto anunciado”, afirma.

Blogs

Entre as categorias de conteúdos, a maior parte dos entrevistados busca em blogs assuntos referentes à saúde/alimentação (21%), tecnologia (19%) e cultura (19%). Trinta por cento das mulheres priorizam assuntos de saúde/alimentação, enquanto 30% dos homens preferem posts de tecnologia.

Ao optar pela leitura de um blog, 35% consideram um fator positivo não ter que se cadastrar ou pagar para ter acesso ao conteúdo, 34% levam em consideração o fato de serem pessoas que escrevem como indivíduos comuns (proximidade) e 31% preferem blogs por conta do conteúdo mais específico e especializado.

“São fatores de sucesso a facilidade no acesso, a credibilidade e a veracidade das informações, a aproximação entre quem escreve e quem lê, a exclusividade do que é postado e a qualidade do conteúdo”, afirma Julien Turri, CEO da Hi-Mídia.

Conteúdo Pago

Ao se deparar com um conteúdo pago na internet, 49% saem da página sem considerar pagar para acessar o conteúdo. Apesar disso, 44% pagariam dependendo do preço ou da dificuldade de encontrar o conteúdo em outro meio e 7% pagariam pelo conteúdo que lhes agradasse.

Sobre a Hi-Mídia (www.hi-midia.com.br)

Fundada em 2005 e com 100 funcionários, possui sede no Rio de Janeiro e escritório comercial em São Paulo. Especializada em venda de mídia online, é focada em segmentação e performance. É a maior rede de verticais do Brasil, com 450 sites, e possui mais de 25 mil parceiros de mídia de performance. A ad network atende mais de 300 agências de publicidade no Brasil. Recentemente, criou uma área de inteligência, em parceria com a M.Sense, para desenvolver estudos sobre o mercado digital, seus usuários e sua relação com as marcas.

Marcado , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.