Pesquisadores desenvolvem um "sismógrafo financeiro"

Uma equipe israelo-alemã desenvolveu um “sismógrafo financeiro” capaz de detectar os sintomas iniciais de uma crise global. Misturando física moderna com teorias econômicas contemporâneas, a equipe garante ter forjado uma ferramenta apta a prever quando um furacão financeiro está sendo formado no horizonte.

A ferramenta é construída com base numa nova compreensão dos princípios do moderno campo de sistemas biológicos complexos, um subcampo cada vez mais popular da física. É preciso interligar as partes de um sistema complexo, como no caso das condições meteorológicas. Relacionar, por exemplo, nuvens em Cingapura com poças numa calçada de Nova York. A nova ferramenta busca avaliar e quantificar as interrelações de mercado.

Exemplos de sistemas complexos incluem colônias de formigas, o sistema nervoso do corpo humano, estruturas sociais, clima e coisas vivas. E a economia global é também um sistema complexo que pode ser explicado com ferramentas corretas de previsão.
“Baseado fortemente na física moderna, fizemos a intersecção entre a física, economia e finanças. Nos últimos 20 anos se acumulou um número crescente de dados econômicos e financeiros; com o uso da física, conceitos e algoritmos e dados empíricos, podemos analisar o que está acontecendo e prever o que vai acontecer”, diz Dror Kennett, astrônomo e doutorando em Física na Universidade de Tel Aviv.

“Os peritos financeiros e econômicos geralmente dependem de modelos teóricos para compreender os mercados globais, baseados em conceitos antiquados da física do século XIX”, diz Kennett. “O que faltava era um trabalho empírico, o tipo de coisa que os físicos modernos adotam”.

A nova metodologia pretende fornecer soluções, ou pelo menos novas direções para enfrentar a crise atual que vem atingindo o mundo. Saiba mais…

Marcado .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.