Lucratividade e custo são as novas diretrizes das empresas para utilizar tecnologia limpa

Dados do International Business Report (IBR) 2012 apontam crescimento da indústria de Tecnologia Limpa e mostram que as principais motivações das empresas para adotar práticas mais sustentável em suas operações não estão ligadas mais somente ao sentimento de serem vistas como uma companhia verde, mas estão relacionadas também a redução de custos, elevação dos lucros e ser apoiado pelo governo.

Mais da metade dos empresários do mundo (52%) disseram que adotaram tecnologias limpa para reduzir custos e 45% para elevar a lucratividade. A consciência ambiental e os requisitos de responsabilidade social continuam importantes, porém não são a principal razão das empresas adotarem práticas mais limpas.

“Não estamos mais falando só sobre preocupações ambientais. Estamos falando de como soluções alternativas podem aumentar o desempenho financeiro das empresas. O que estamos vendo é o potencial dessas tecnologias para competir com as tradicionais formas de energia e a expectativa de que, daqui algum tempo, elas possam competir em pé de igualdade”, diz Javier Martinez, responsável da Grant Thornton pelo IBR na América Latina.

As expectativas das empresas do setor para 2012 estão bem otimistas. Segundo o IBR, 64% das companhias de tecnologia limpa esperam elevar a receita esse ano – acima dos 54% registrados no ano passado – e o mesmo percentual estima elevar a lucratividade, ante 42% no ano anterior. Os fornecedores de tecnologia limpa preveem grande demanda das economias europeia (51%), Estados Unidos e Canadá (ambos com 39%).

O estudo da Grant Thornton mostrou um setor de tecnologia limpa em transição. Há mais companhias envolvidas em Pesquisa & Desenvolvimento (42%) e tecnologia da informação (29%) do que no ano passado (31% e 22%, respectivamente). Por outro lado a manufatura de produtos ligados a eficiência de energia caiu de 26% para 19%.

“A produção desses itens, como turbinas de vento, por exemplo, exige um capital enorme. Vemos, então, uma redução no ritmo de crescimento como resultado do cenário atual e da dificuldade de levantar recursos e créditos”, complementa Martinez.

Brasil
Os empresários estão otimistas com o setor de tecnologia limpa. Dados do International Business Report 2012 (IBR) da Grant Thornton revelam que 79% dos executivos consultados esperam aumentar as receitas nos próximos 12 meses e 48% preveem aumento da lucratividade nesse mesmo período.

Para isso, 63% afirmaram que devem investir em máquinas e equipamentos e Pesquisa e Desenvolvimento (47%). A maioria diz acreditar que terão suporte de financiadores (65%). Além disso, 41% dos executivos consultados esperam contratar. No ano passado, as contratações do setor aumentaram 35%.
De acordo com o IBR, a maior restrição para o crescimento das empresas do setor é a burocracia (46%) e a falta de mão de obra qualificada (41%).

Marcado , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.