EMPRESAS DE SOFTWARE DO PARANÁ ABREM MERCADO NA ITÁLIA

Uma missão paranaense, formada por empresas e entidades ligadas ao desenvolvimento de software, inicia um trabalho de aproximação com o mercado europeu ao visitar polos de tecnologia na Itália para estabelecer
parcerias comerciais, cooperação de longo prazo e transferência de conhecimento. A Itália é o sétimo mercado mundial de tecnologia da informação, com quase 4 por cento das receitas em serviços. O grupo participou de uma
semana de rodadas de negócios e agendas institucionais em uma iniciativa da Softex – Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e
Investimentos (Apex-Brasil), a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O Curitiba Offshore, que organizou a missão, é um esforço de internacionalização de empresas
do Arranjo Produtivo Local de Software da capital do Paraná. Izoulet Cortes Filho, coordenador do Curitiba Offshore, conta que “os italianos assimilaram o perfil e o espírito das empresas brasileiras e os empresários
paranaenses mostraram cada vez mais confiança ao longo da visita por perceber a possibilidade de colocar em prática a ideia de abrir mercado internacional nos contatos com entidades e corporações da Itália”.
Os representantes do Paraná enxergam o mercado italiano com um enorme potencial a ser explorado. A comitiva esteve na SMAU de Milão ,uma grande feira europeia do setor. Também houve uma série de visitas a entidades
e empresas no Parque Tecnológico de Navacchio e na região da Emilia-Romagna. Na SMAU, a missão liderada pelo Curitiba Offshore Center apresentou os mercados brasileiro e paranaense de tecnologia com informações
sobre empresas, indicadores e ambiente de negócios. A Lombardia, onde fica Milão, por exemplo, não tem convênios ou projetos voltados para o setor no Brasil, mas empresários da região já vão visitar o país em março de
2.012 dentro da programação do Ano da Itália no Brasil para um iniciar parcerias. O primeiro intercâmbio vai abranger cooperação, atração de empresas, rodada de negócios e acordo para intergir na Cebit 2.012, a maior feira de
tecnologia do mundo. O Parque Tecnológico de Navacchio, na Toscana, já tem convênio para incubar empresas em Manaus, no estado de Amazonas, e confirmou interesse pelo mercado paranaense de software. A Itália
apresenta um modelo de sucesso na gestão de cadeias produtivas direcionadas ao ambiente de tecnologia da informação. Mesmo com a crise internacional, empresas incubadas na Itália apresentam crescimento médio de mais
de 30 por cento contra 9,5 por cento de empresas incubadas no Brasil. A Emilia-Romagna é a região mais promissora , com modelo de gestão dos ativos tecnológicos interessantes para aplicar nas empresas brasileiras .A
Universidade de Ferrara já tem trabalhos de cooperação com a Agência Curitiba de Desenvolvimento e a PUC-PR. Ideia é trabalhar com inovação, fomento e identificação de ambientes regionais.
Representantes de universidades italianas vão visitar o Brasil em novembro com agenda de visitas ao Sebrae e Assespro em Brasília.
Leonardo R. M. Matt, coordenador do Arranjo Produtivo Local de Software de Curitiba faz um balanço otimista do giro pela Itália: “houve a oportunidade de trocar ideias e experiências com dezenas de empresários europeus,
principalmente das regiões italianas de Emilia Romagna, Toscana e Lombardia sobre o perfil das empresas de cada país, as tendências tecnológicas que estão seguindo e também entender o formato e modelos de negócios que
praticam”.
A missão para a Itália contou com a participação de representantes do Sebrae-PR, Assespro-PR(Associação das Empresas de Tecnologia da Informação), Cits (Centro Internacional de Tecnologia de Software) e as
empresas paranaenses Solusoft, NVi, Vistra e Totvs-Paraná e mais duas empresas de São Paulo, que se uniram ao grupo já na Europa.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.