Indústria 4.0: a visão do integrador de soluções – Por Jorge Brito

FacebookTwitterGoogle+LinkedInCompartilhar

Indústria 4.0, Manufatura Avançada e Manufatura Digital são termos bastante utilizados nos dias de hoje para fundamentar a chamada Quarta Revolução Industrial, que dá continuidade aos antigos movimentos marcados pela evolução das máquinas.

A Primeira Revolução Industrial surgiu na Inglaterra em meados do século XVIII, tendo como fator preponderante a mecanização dos processos fabris. A Segunda, por sua vez, foi caracterizada pela eletrificação das indústrias. Já a Terceira trouxe a eletrônica e o IT para o chão de fábrica.

Finalmente, a Quarta Revolução Industrial está associada ao desenvolvimento de sensores, processos, ITC e soluções/aplicações de alta disponibilidade, o que garante maior conectividade entre as máquinas de uma fábrica e, por consequência, maior assertividade na tomada de decisões.

Esse mais recente movimento tecnológico também pode ser chamado de Revolução da Informação, visto que há uma integração de dados no desenvolvimento de novos produtos e soluções.

Sendo assim, a Quarta Revolução Industrial nos apresenta o dado certo, do local certo, no momento certo e no dispositivo certo. Tal cenário exige uma rastreabilidade na cadeia de processo, dado que o empresário, o diretor industrial e o Plant Manager se preocupam em obter a informação adequada a tempo de tomar decisões e potencializar seu negócio. Isso pode ser resumido em duas palavras: visibilidade e, mais importante ainda, previsibilidade.

A seguir, alguns pontos de interesse do mercado e fatores de sucesso para a Manufatura Avançada:

– Análise preditiva (M2M mais IoT e Big Data);
– Produtos, processos e máquinas conectados (M2M mais IoT);
– Fábricas inteligentes – Smart Factories (M2M mais IoT);
– Integração e soluções completas (E2E);
– Alto conhecimento no negócio do cliente (Core Business);
– Alto conhecimento das tecnologias envolvidas, tais como: Agile Methodology, RFID, Mobiles;
– Projetos que utilizam tecnologias abertas (Open Source Technology);
– Alto poder computacional com alta disponibilidade (Cloud Computing, High Availability Data Center).

Jorge Brito, Head M2M, IoT, I4.0 e Inovação na T-Systems do Brasil

589 Total Views 3 Views Today
Marcado , , , , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  • CONHEÇA O CANAL DE VÍDEOS DO VALOR AGREGADO

    CONHEÇA O CANAL DE VÍDEOS DO VALOR AGREGADO
  • Receba nossas notícias